Flamengo não mexe em salários de março e ganha tempo para avaliar efeito financeiro do coronavírus

Tudo como antes na folha salarial do Flamengo. Pelo menos, no que se refere ao mês de março, que cairá na conta de elenco e funcionários do departamento de futebol até o quinto dia útil de abril.

Em meio a movimentação de clubes no sentido da redução de parte do pagamento por conta da paralisação do calendário para combater o coronavírus, o Rubro-Negro bateu o martelo que não tomará medidas imediatas. Com férias coletivas anunciadas, a diretoria monitora a atualização das autoridades a respeito da pandemia, mas já discute a possibilidade caso os efeitos no futebol se prolonguem além de abril.

Há um consenso no clube de que o momento é de paciência para evitar precipitação. Até o momento, nenhum jogador ou membro da comissão técnica foi procurado para discutir a possibilidade e o desejo do Flamengo é ganhar tempo para avaliar todas as alternativas até o fim das férias.

Sem acordo entre a Comissão Nacional de Clubes e o Sindicato dos Jogadores para uma decisão coletiva, as negociações serão individualizadas. Desta maneira, o Flamengo estuda cada passo no sentido de evitar um desgaste antes que se tenha uma estimativa mais palpável de quando o calendário retomará as atividades.