Fim de semana tem festa com 400 pessoas e “mar de gente” na Afonso Pena

Batalhão de Choque da Polícia Militar precisou ir até o aos altos da Afonso Pena para dispersar a aglomeração

Foto: Redes Sociais

Mais de 400 pessoas em uma festa clandestina foram flagradas pela Guarda Civil Metropolitana na madrugada deste domingo (4). A aglomeração ocorreu em uma chácara que fica na saída de São Paulo, em Campo Grande. Através de denúncias, a guarda foi até lá e fez a dispersão das pessoas que estavam no local, por volta da 1h30.

Em um vídeo registrado no momento que é feita a dispersão, dá pra ver a quantidade de gente saindo com bebidas não mão, a maioria jovens sem fazer uso de máscaras, o que ainda é recomendável e obrigatórios em alguns locais da Capital.

Também nesta madruga, a guarda bateu em outra festa, com 150 pessoas, na Vila Alba. Todos foram orientados a voltar para casa.

Outro flagrante de aglomeração regada a bebida alcoólica e som alto foi na madrugada de sábado (3). Grande quantidade de pessoas, a maioria sem máscara, “inundaram” os altos da Avenida Afonso Pena, em frente ao Parque das Nações Indígenas.

O Batalhão de Choque da Polícia Militar fez a dispersão das pessoas por volta das 3h da manhã. Segundo o comandante, a ação só não ocorreu mais cedo pois o Choque estava em operação.

Vídeos que mostram o “mar de gente” na avenida circularam as redes sociais. Veja:

No boletim epidemiológico publicado hoje pela SES (Secretaria Estadual de Saúde), 198 novos casos foram registrados em Campo Grande. Dez pessoas morreram nas últimas 24 horas.

Ainda não – As festas na Capital só são permitidas seguindo regras de biossegurança. Mas, para que a festinha aconteça, um Plano de Contenção de Riscos deve ser apresentado pelo organizador à Prefeitura de Campo Grande para, daí sim, ter autorização, o que não foi o caso da festa clandestina flagrada pela guarda nesta madrugada.

Pelas regras, em condomínios por exemplo, somente 30 pessoas podem participar do evento. Buffets e similares também têm de respeitar também regras de lotação.