Figura emblemática de Campo Grande, Paulo do Radinho morre aos 62 anos após crise de hipoglicemia

Quem é campo-grandense raiz, como dizem, vai se lembrar dos momentos em que parou o carro ou até mesmo passou pelo cruzamento da avenida Afonso Pena com a 14 de julho, em Campo Grande, e foi “embalado” pelo som, a dança e a alegria do “Paulo do Radinho”.

Aos 62 anos, o servidor aposentado Paulo César da Silva Baptista faleceu devido à complicações causadas por crise de hipoglicemia, no Hospital do Pênfigo, nesse domingo (30). Ele tinha diabetes e, em abril deste ano, ele já tinha sido internado na Unidade de Terapia Intensiva (UTI) com o mesmo diagnóstico.

Figura emblemática, “Paulo do Radinho” estava sempre segurando o radinho e dançando, colocando o objeto sobre os ombros e transmitindo muita alegria enquanto o sinal não ficava verde.

A Fundação de Cultura de Mato Grosso do Sul, que é um local onde ele trabalhou, emitiu nota de pesar, manifestando a solidariedade a todos os amigos e familiares.