‘Falta de decoro’, diz Shantal sobre médico após vazamento de áudio sobre parto

“É difícil passar por esse processo pessoal em meio aos cuidados de uma filha recém-nascida”, diz à Marie Claire a empresária e influenciadora Shantal. Neste sábado (11), ela foi surpreendida com o vazamento de um áudio seu relatando a violência obstétrica que sofreu durante o parto de Domenica, sua filha com Mateus Verdelho, nascida em setembro. Em um grupo privado de mães, ela desabafou sobre o tratamento recebido pelo Dr. Renato Kalil durante o trabalho de parto.

“Os vídeos e o áudio foram enviados em um momento de troca, desabafo e compartilhamento com suas amigas, a respeito de maternidade e sobre os suas escolhas de obstetras. A intenção era unicamente dividir a experiência de forma privada e com pessoas mais próximas”, afirma na nota enviada à reportagem.

Ela já havia dito nas redes que passou por um trabalho de parto com duração de mais de 48h. “Basicamente, fiquei três dias em trabalho de parto. Foi sábado, domingo e segunda, que foi quando nasceu. A maioria das mulheres têm contração a cada quinze minutos, depois diminui para cinco minutos, e aí é quando geralmente já está nascendo. Eu comecei no sábado, com contração a cada dois minutos, e assim foi se estendendo até ela nascer”, contou à época.

Na gravação divulgada hoje, Shantal conta que o médico a expos e a constrangeu não só para o marido, mas para outras pacientes. “Descobri que ele falou da minha vagina para outras pessoas. Tipo ‘Ficou arregaçada, se não tiver episotomia, você vai ficar igual'”, diz em um trecho.

“Ele chamou meu marido e falou ‘Olha aqui, toda arrebentada, vou ter que dar um monte de pontos na perereca dela’. Ele falava de um jeito como ‘olha aí, onde você faz sexo, tá tudo f*dido’. Ele não tinha que fazer isso. Ele nem sabe se eu tenho tamanha intimidade com meu marido”, desabafou em outro minuto do áudio.

No texto enviado à Marie Claire, ela afirma não ter se posicionado mais cedo por ser esse “um assunto delicado e ainda constrangedor” e diz lamentar que o caso tenha se tornado público em um momento tão delicado e importante de sua vida e de sua família.

“Com as recentes declarações do médico responsável em vários veículos de imprensa, também da exclusão de seu Instagram profissional, Shantal vem a público por meio desta nota, em respeito a todos seus seguidores, mães e famílias que a acompanham e reitera que: apesar de ser difícil passar por esse processo pessoal em meio aos cuidados de sua filha recém-nascida, em vista dos últimos ocorridos divulgados pela falta de decoro de um profissional da área da saúde, estará também nos próximos dias tomando as devidas providências jurídicas. Ela agradece todo o carinho que está recebendo desde que isso se tornou público”, diz o texto.

A violência obstétrica é um tipo de violência de gênero praticada especificamente por profissionais da saúde, caracterizada por abusos, maus tratos ou desrespeito ao longo da gestação ou durante o trabalho de parto, tanto de forma física quanto psicológica.

Entre as acusações feitas ao médico, que deletou seus perfis nas redes sociais após o vazamento do áudio, está a de que ele teria revelado que Shantal deu à luz uma menina antes que ela pudesse contar à família. A influenciadora escolheu não saber se esperava um menino ou uma menina antes do momento do parto.

Ela também afirma que Kalil a xingou e humilhou durante o trabalho de parto. “Simplesmente, quando a gente assistia ao vídeo do parto, ele me xinga o trabalho de parto inteiro. Fala ‘P*rra, faz força. Filha da mãe, ela não faz força direito. Viadinha’. Que ódio. Não se mexe, p*rra’… depois que vi tudo, foi horrível”, lamentou.

Shantal (Foto: Reprodução / Instagram)
Shantal (Foto: Reprodução / Instagram)

Shantal Verdelho (Foto: Reprodução / Instagram)
Shantal Verdelho (Foto: Reprodução / Instagram)

Shantal e Mateus Verdelho com Domenica (Foto: Hanna Rocha)
Shantal e Mateus Verdelho com Domenica (Foto: Hanna Rocha)

No vídeo, que também teve trechos vazados na web, ela chega a rebater o médico. “Eu estou fazendo [força]. Eu sou a maior interessada nisso”, diz. Em nota oficial enviada à imprensa, Dr. Renato Kalil nega acusações de violência obstétrica e afirma que nunca recebeu reclamações sobre sua postura de trabalho ao longo da carreira.

“O Dr. Renato Kalil é médico obstreta ginecologista há 36 anos, sendo um dos médicos mais reconhecidos do Brasil. Ao longo de sua carreira, já efetuou mais de 10 mil partos, sem nenhuma reclamação ou incidente. O parto da Sra. Shantal aconteceu sem qualquer intercorrência e foi elogiado por ela em suas redes sociais durante trinta dias após o parto. Surpreendentemente, o Dr. Renato Kalil começou a receber, nos últimos dias, ataques com base em um vídeo editado, com conteúdo retirado de contexto. A íntegra do vídeo mostra que não há nenhuma irregularidade ou postura inapropriada durante o procedimento. Ataques à sua reputação serão objeto de providências jurídicas, com a análise do vídeo na íntegra”, declara a assessoria de imprensa do médico. O espaço segue aberto para manifestações.

Em entrevista à Marie Claire poucas semanas antes do parto, Shantal contou que planejava ter um parto humanizado e tinha a intenção de evitar até mesmo a anestesia. A influenciadora passou cerca de três meses em repouso completo após passar por tratamento para dessensibilizar o colo do útero e evitar um parto prematuro extremo.

Por conta dos riscos da gestação, Shantal garantiu que não engravidará novamente e que seu sonho era passar por um parto normal humanizado, já que no nascimento de seu primeiro filho, Pippo, ela passou por cesárea.

“Eu entendo que o parto humanizado é o que a mãe quer e se sente confortável em fazer. É meu sonho ter um parto normal, é um sonho muito grande. Sabe quando as pessoas falam assim: ‘quero completar um Ironman [modalidade de triathlon], quero fazer uma maratona’? Para mim, esse sonho é realmente ter o parto normal”, declarou ela em agosto.

“Quero muito ter um espelho na minha frente para ver tudo, cada passo desse nascimento. Para mim, vai ser um grande evento. Estou mais ansiosa para o parto em si, para ver que deu certo e ver como vai ser esse encontro com o meu bebê do que de fato saber o sexo do bebê. Estou com a expectativa muito mais alta para esse momento do parto”, disse.

Para denunciar violência obstétrica, o registro pode ser feito no próprio hospital, clínica ou maternidade onde ocorreu o atendimento. Também é possível registrar queixas pelodisque 180, disque 136 ou para 08007019656 da Agência Nacional de Saúde Suplementar sobre reclamações do atendimento do plano de saúde.

Shantal e Mateus Verdelho com Domenica (Foto: Hanna Rocha)
Shantal e Mateus Verdelho com Domenica (Foto: Hanna Rocha)

Shantal mostra encontro de Felippo e a irmã, Domenica (Foto: Reprodução / Instagram)
Shantal mostra encontro de Felippo e a irmã, Domenica (Foto: Reprodução / Instagram)

Shantal e Domenica (Foto: Reprodução/Instagram)
Shantal e Domenica (Foto: Reprodução/Instagram)

Mateus Verdelho e Domenica (Foto: Reprodução/Instagram)
Mateus Verdelho e Domenica (Foto: Reprodução/Instagram)