Facebook remove publicação de Trump associada ao nazismo

© Kevin Lamarque/Reuters

O Facebook anunciou nesta quinta-feira, 18, que retirou publicações e anúncios da campanha de reeleição do presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, por violar a “política contra o ódio organizado” da rede social.

Os anúncios mostravam um triângulo invertido vermelho, um símbolo usado pelos nazistas para identificar presos políticos, com um texto pedindo aos usuários do Facebook que assinassem uma petição contra a antifa, o movimento antifascista recentemente tratado como “terrorista” por Trump.

“Nossa política proíbe o uso do símbolo de um grupo de ódio proibido para identificar presos políticos sem o contexto que condena ou discute o símbolo”, disse um porta-voz da empresa no Facebook.

O símbolo estava nos anúncios do Facebook exibidos em páginas pertencentes a Trump e ao vice-presidente Mike Pence, bem como em anúncios e postagens orgânicas na página “Team Trump”.

“Consciente do significado ou não, a campanha de Trump usar um símbolo – praticamente idêntico ao usado pelo regime nazista para classificar prisioneiros políticos em campos de concentração – para atacar seus oponentes é ofensivo e profundamente perturbador”, afirmou Jonathan Greenblatt, CEO da Liga Anti-Difamação, uma organização não governamental judaica com sede nos EUA.

Tim Murtaugh, porta-voz da campanha de Trump, defendeu o presidente via e-email. “O triângulo vermelho invertido é um símbolo usado pela Antifa, por isso foi incluído em um anúncio sobre a Antifa.”

“Observamos que o Facebook ainda possui um emoji de triângulo vermelho invertido em uso, que parece exatamente o mesmo, por isso é curioso que eles segmentem apenas esse anúncio”, completou.

Mark Bray, historiador da Universidade Rutgers e autor do livro Antifa: O Manual Antifascista, disse que o triângulo vermelho havia sido recuperado por alguns grupos de esquerda no Reino Unido e na Alemanha após a Segunda Guerra Mundial, mas que nunca chegou a ser usado por antifascistas nos Estados Unidos.

Uma contagem da agência Reuters contou 88 versões do anúncio usando o símbolo em questão nas três páginas de Trump, Pence e da campanha. Os anúncios da página de Trump obtiveram pelo menos 800.000 impressões, de acordo com a biblioteca de anúncios do Facebook.

Questionado sobre a remoção dos anúncios em uma audiência do Comitê de Inteligência dos EUA na quinta-feira, o chefe de política de segurança do Facebook, Nathaniel Gleicher, disse que a empresa tomaria as mesmas ações se o símbolo aparecesse em outras páginas da plataforma.

O Facebook havia removido anteriormente os anúncios da campanha Trump, incluindo aqueles que violavam a política da empresa contra informações erradas no censo do governo.