ESCOLA DA REME CONSOLIDA PROJETO PEDAGÓGICO COM QUARTA EDIÇÃO DE JORNAL

Os alunos da Escola Municipal Professor Vanderlei Rosa de Oliveira, no Parque dos Novos Estados, mantiveram projetos importantes mesmo durante a pandemia da Covid-19. Um dos principais é o jornal produzido a distância, com o auxílio dos professores, desde a suspensão das aulas presenciais na Rede Municipal de Ensino/REME, no dia 18 de março. O material está na 4a edição e, desta vez, o tema é “Portal do aprender”.

O trabalho envolveu os professores das disciplinas de língua portuguesa, geografia e história, em ações interdisciplinares. As turmas de trabalho são do 9o ano do ensino fundamental, chamados de “marco de série”, pois seguem para o ensino médio em 2021.

O projeto conta com o apoio de toda a equipe pedagógica da escola e parceiros que entendem o papel fundamental que a educação representa na formação de cidadãos conscientes e atuantes. O jornal começou a ser produzido, anualmente, pelos alunos, em 2017, com o primeiro título “A voz da escola”. Em 2018, foi “A educação no controle” e, no ano passado, “Raízes do conhecimento”.

A cada edição, a turma do 9o ano – em 2020 foram três – escolhe o nome que melhor a representa, a logo do jornal, os temas desenvolvidos, os conteúdos abordados e o caderno especial. Os títulos definidos a cada ano foram “Muros da Intolerância” (2017), “Incrivelmente Mulheres” (2018), “Adolescer” (2019) e, neste ano, “AceitAção”.

“Por conta da pandemia, achei que não íamos conseguir fazer, mas os alunos se reuniram. O jornal é o exercício da escrita e a escolha coletiva de tudo que tem no jornal, tudo era por votação. Eles fizeram reunião na escola, obedecendo às normas de biossegurança, com distanciamento; fizeram gráficos para escolher o nome do jornal, porque, a cada ano, mudamos o nome, e quais as reportagens mais importantes. O jornal fez com que os alunos tivessem mais motivação”, explicou a diretora da escola, Lucilene Vedana.

Para a elaboração do jornal, os alunos contaram com a equipe dos professores Cristiane de Melo Aguiar (língua portuguesa), Zulma Maria Vicente (geografia) e Veríssimo Centurião (história), além das coordenadoras Nara Maria Olarte de Oliveira Favaro e Edna Navarezi de Araújo. “Todos os assuntos do jornal são abordados durante o ano, com os alunos, que produzem os textos. É tudo trabalhado em sala de aula. Neste caso foi em casa, por meio dos cadernos de atividades que foram enviados. Tivemos grupos de Whatsapp para debatermos os temas dos textos”, disse a coordenadora Nara Maria.

Como parte do desenvolvimento do jornal, estudantes arrecadaram alimentos e montaram 35 cestas básicas que foram distribuídas para os moradores do bairro. As primeiras reuniões do projeto ocorreram presencialmente, porém por conta da pandemia as demais foram feitas a distância por meio de aplicativos. Serão impressos mil exemplares do jornal, para distribuição aos pais e à Secretaria Municipal de Educação (Semed).

“Eu acho todas áreas superlegais, mas o que mais gosto é a discussão sobre os temas. Cada um tem um ponto de vista diferente, o que surgirem diversas opiniões distintas. Eu abordei um tema sobre a gripe espanhola e, como estamos no meio de uma pandemia, nada melhor que abordar uma antiga também, afinal ela é a mãe das pandemias, mas de uma forma criativa para chamar à atenção”, afirmou a aluna Amanda Siqueira Castro.