Em período de estiagem, cana-de-açúcar é uma alternativa na alimentação de bovinos de leite

O empasse financeiro na hora de adotar tecnologias para produção é sempre um dos principais desafios da agricultura familiar em termos de conseguir produção e competitividade no mercado frente aos médios e grandes produtores. Consciente desta realidade a Agência de Desenvolvimento Agrário e Extensão Rural (Agraer) vem buscando alternativas viáveis para que os pequenos produtores de leite possam garantir boa produção mesmo em período de entressafra, inverno, quando a seca se estende e o pasto tende a perder a qualidade.

Na zona rural de Jaraguari uma das alternativas encontradas pela Agraer é a inclusão de cana-de-açúcar na dieta de bovinos. No Projeto de Assentamento (PA) Estrela Jaraguari, por exemplo, foi montada uma Unidade Demonstrativa no sítio do casal de agricultores, Antônio Cardoso e Luzia da Silva, que já começou a apresentar bons resultados. “A base foi implantada em 2015 e, agora, com dois anos e seis meses de criação foi promovido um dia de campo para que agricultores familiares da região conhecessem a metodologia adotada”, disse o engenheiro agrônomo Marlon Ricardes, responsável pela assistência técnica na propriedade.

De acordo com o técnico, a safra da cana coincide com o período de seca, o que torna excelente opção à manutenção do desempenho animal durante esta época do ano. A principal meta é apresentar algumas variedades de cana-de-açúcar aprovadas e cultivadas no campo experimental do Cepaer, das quais foram: RB 855536, AC 862480, RB 72454 e IAC 933046.

A safra da cana coincide com o período de seca, o que torna excelente opção à manutenção do desempenho animal durante esta época do ano.

O trabalho também incluiu o preparo de solo com calagem, na qual se aplica calcário no terreno de cultivo com o propósito de corrigir a acidez do solo e fornecer nutrientes para as plantas. “Exatamente dois anos e seis meses é o tempo suficiente para justificar a qualidade e a resistência das variedades selecionadas para a unidade demonstrativa”, justificou o agrônomo.

“O cultivo da cana-de açúcar com precisão técnica gera uma produção de até 120 toneladas por hectare, sendo de grande alternativa de alimentação dos rebanhos leiteiros na época da seca, após o inverno, realizando-se uma alternativa de produção e consequentemente a renda, melhorando a qualidade nutricional dos rebanhos na comunidade”, garantiu Marlon.

Ao final do dia de campo foi promovida a entrega de mudas das quatro variedades de cana produzidas no sítio assistido pela Agraer. “Além da entrega das mudas, também houve a orientação dos pequenos produtores a fim de repassar informação e dar orientação técnica adequada para o cultivo das variedades de cana-de-açúcar. Com a adoção da cana na alimentação do rebanho é uma forma de obter uma maior produtividade e, consequentemente, renda com o leite”.

O dia de campo contou com a colaboração da equipe técnica do escritório da Agraer de Campo Grande, por meio do trabalho dos servidores: a assistente social, Cleonice de Fátima Jacomele, o médico veterinário, Clóvis Ramos, e o engenheiro agrônomo, Gabriel Saad.