EM AÇÃO INÉDITA NO PAÍS, PREFEITURA VACINA 650 INDÍGENAS CONTRA A COVID-19

A Prefeitura de Campo Grande vacinou 650 pessoas contra a Covid-19 durante ação realizada neste domingo (11), no Memorial da Cultura Indígena Cacique Enir Terena, localizado na região do bairro Tiradentes. A Capital é um dos primeiros municípios do País a realizar a imunização indígenas não aldeados, que vivem em áreas urbanas.

O prefeito Marquinhos Trad destacou a importância da ação, considerando que uma parcela significativa da população indígena, especialmente nas maiores cidades do Estado, como é o caso de Campo Grande, vivem em aldeias ou comunidades urbanas e, consequentemente, não foram contempladas inicialmente dentro do Plano Nacional de Imunização (PNI). Mato Grosso do Sul possui a segunda maior população indígena do Brasil, segundo dados do IBGE.

“É um ato em favor da vida. Através do diálogo, ouvindo o apelo das lideranças, chegamos a um consenso da necessidade de incluir estas pessoas dentro do cronograma de vacinação. O fato de residirem na cidade não as fazem menos suscetíveis do que os seus parentes que vivem na zona rural. A proteção através da imunização é muito importante para eles, assim como para toda à população campo-grandense”, pondera.

Para o cacique Josias Jordão Ramires, 33 anos, a vacinação representa um momento histórico e um sopro de esperança, não só para a Aldeia Marçal Souza, mas para toda a comunidade indígena de Campo Grande.  Ele relata que somente na comunidade foram registrados sete óbitos provocados pela doença, desde março do ano passado, início da pandemia.

“Nossa comunidade sofreu muito o ano passado com essa doença. Praticamente 90% das pessoas contraíram a doença.  Hoje temos muito a comemorar pela sensibilidade dos nossos gestores que entenderam a necessidade de incluir a população indígena não aldeada no grupo prioritário . Graças a Deus chegou a tão esperada vacina. É um alento para as pessoas que, assim como eu, perderam entes queridos para esta terrível doença”, disse.

O Município recebeu nesta semana 3.600 doses de vacina que foram remanejadas pelo Governo do Estado e distribuídas aos municípios para imunização de indígenas que vivem fora das aldeias.

A população indígena urbana não foi incluída inicialmente dentro do grupo prioritário pelo Ministério da Saúde, ficando a cargo dos estados e municípios organizarem a imunização deste público, considerando a disponibilidade de doses.

A estimativa  ao menos 2.300 indígenas que vivem em aldeias urbanas e comunidades de Campo Grande ao longo da semana, seguindo cronograma pré-estabelecido pela Secretaria Municipal de Saúde (Sesau). Esse quantitativo é estipulado com base no público atendido em campanhas anteriores de vacinação, como a da Influenza.

Nesta segunda-feira, dia 12, serão atendidos indígenas que vivem na USF Indubrasil, indígenas que vivem nas comunidades Jardim Inápolis, Vila Entrocamento e Roda Velha. Posteriormente será atendida a população das comunidades adjacentes à Água Bonita, Vila Romana e Noroeste.

Vacinação

Nesta semana à vacinação da população em geral estará suspensa até o recebimento de novas doses. Será dada continuidade somente a imunização dos indígenas e da aplicação da segunda dose da vacina Astrazeneca em trabalhadores da saúde que atuam nos hospitais de Campo Grande.