É #FAKE que houve recontagem de votos em Detroit e foi identificado um eleitor nascido em 1823

Tela da Fox compartilhada nas redes refere-se a processo encerrado cinco meses antes das atuais eleições americanas

É #FAKE que houve recontagem de votos em Detroit e foi identificado um eleitor nascido em 1823 — Foto: Reprodução

Circula pelas redes sociais o “print” de uma tela de TV ligada na Fox mostrando uma reportagem com dados de Detroit, nos EUA. O gráfico mostra as expressões: “4.788 registros duplicados, cadastro de 32.519 eleitores a mais do que os aptos a votar, 2.503 eleitores mortos e um eleitor nascido em 1823”. Sobre a tela, aparece a inscrição em português: “Isso foi só a recontagem parcial em Detroit”. É #FAKE.

A própria Fox Detroit esclarece que a imagem, compartilhada também nos Estados Unidos, é de 2019. Ela não tem nenhuma relação com a apuração dos votos na eleição presidencial de 2020.

A imagem mostrada faz parte de um processo contra funcionários eleitorais de Detroit. O processo foi aberto porque foram identificados problemas nos registros e dificuldade em manter as listas eleitorais precisas e atuais.

O gráfico, portanto, detalhava números presentes na ação judicial. O processo foi aberto em dezembro de 2019, mas foi retirado em junho de 2020, cinco meses antes da atual eleição americana, porque os funcionários eleitorais corrigiram os erros.

O boato que tem sido disseminado se aproveita do fato de Detroit ser a cidade mais populosa do estado de Michigan, onde Biden virou sobre Trump. No estado, porém, Trump não pediu uma recontagem de votos, e sim a interrupção da contagem, o que foi rejeitado. A campanha do presidente pleiteou uma recontagem dos votos, na verdade, em Wisconsin.