Deputado Cabo Almi resume 2020 como o ano da resistência e diz que a vacina vai salvar vidas

Este foi o ano da resistência, creio que não temos muito a comemorar, além de
estarmos vivos, ou seja, a maior comemoração deste ano, é sobreviver a ele,
essa é a leitura que faço no dia de hoje, assim foi iniciado o discurso da tribuna
virtual pelo deputado estadual Cabo Almi, líder da bancada do PT na última
sessão ordinária deste período legislativo de 2020 na Assembleia Legislativa de
Mato Grosso do Sul.
Espero que 2021, possamos ter um pouco mais de liberdade de ir e de vir neste
planeta, pois não se trata apenas de uma questão isolada de Mato Grosso do
Sul. Que esta vacina, em que pese alguns serem resistentes, que ela seja a
salvação da humanidade. Eu não creio em saídas que não seja através da vacina
para a nossa sobrevivência, pontuou o parlamentear.
Nós tivemos um período em que a curva declinou sobre os números dos
contaminados, mas ela voltou a subir e, se nós não tivermos um cuidado
redobrado, se o ser humano não entender a gravidade desta pandemia, esse
Natal e Ano Novo pode ser transformado em tragédia para muitas famílias, não
só no Mato Grosso do Sul, mas no Brasil e em todo o mundo.
Este é um momento de comemoração em silencio, este é o momento da
comemoração da vida, que as famílias possam se reunir na sua menor
quantidade e com todos os cuidados para que possamos aguardar a chegada
da vacina em nosso país.
Hoje eu completo mais um aniversário (57), até o ano passado éramos dois
aniversariantes neste dia 17, eu e o saudoso deputado Onevan de Matos, que
perdeu a vida recentemente, atuava nesta casa de forma discreta, mas era
possuidor de um carisma muito grande e deixou muitos amigos, por isso devo
confessar que estou alegre por estar vivo, mas muito triste por não ver mais o
Onevan de Matos entre nós.
Em aparte, o deputado Barbosinha (DEM), disse que a fala do deputado Cabo
Almi foi uma: “manifestação em forma de oração e que é recebida pelos
deputados e pela sociedade como uma prece de agradecimento a Deus pelo
dom da vida e do sentimento de pesar e de tristeza por tantos amigos e colegas
que partiram desta vida”.
Finalmente Cabo Almi disse que “gostaria de em nome do saudoso deputado
Onevan de Matos e de todas as vítimas da Covid-19, que já são quase 2 mil no
MS, que a mesa diretora propusesse e realizasse um minuto de silêncio em
memória de todas as vítimas conhecidas ou não em nosso estado”.(apesar deste
pedido ter sido acatado e, sido reiterado por Cabo Almi, o presidente Paulo
Correa, provavelmente, por esquecimento, encerrou a sessão sem a realização
do “minuto de silêncio”).