De aurora boreal a pinguins ‘marrentos’, veja as fotos mais bonitas feitas em lugares gelados

Animais que se camuflam na neve, céus coloridos pela aurora boreal, grandes montanhas de gelo que se destacam na imensidão branca. Alguns dos lugares mais gelados e remotos do mundo também estão entre os mais fotogênicos. É justamente esta beleza congelante o objeto do concurso fotográfico Capture the Extreme 2021, que selecionou registros de vida selvagem da Antártica ao Polo Norte.

Combinando temperaturas baixíssimas e belas imagens, as fotografias foram feitas em lugares como Escócia, Canadá, Alpes franceses, Paquistão, Mongólia, Rússia, Islândia, Groenlândia, Noruega, Patagônia chilena e até mesmo no Texas.

 

O maior número de registros, no entanto, foi feito na Antártica. Do continente gelado, por exemplo, saiu a imagem que levou o prêmio principal do ano, que mostra um pinguim encarando, de forma quase inquisidora, um explorador, que, por sua vez, está vestido à maneira de Ernest Shackleton, líder de algumas das expedições pioneiras pelo Polo Sul..

A grande vencedora do concurso Capture The Extreme 2021 foi esta foto feita pela britânica Tamara Stubbs, que registou um penguium olhando para um explorador vestido como Ernest Shackleton, na Antártica Foto: Tamara Stubbs / Shackleton/Divulgação
A grande vencedora do concurso Capture The Extreme 2021 foi esta foto feita pela britânica Tamara Stubbs, que registou um penguium olhando para um explorador vestido como Ernest Shackleton, na Antártica Foto: Tamara Stubbs / Shackleton/Divulgação

Ao site da Shackleton, fabricantes de roupas especiais para o frio (que, ao lado das câmeras Leica ,patrocina o concurso), a autora da imagem, Tamara Stubbs, diz que o encontro foi registrado em 2019 e que o pinguim da foto, minutos antes, estava correndo atrás de uma cientista, e que só parou quando viu o homem.

A premiação, cujo resultado foi divulgado no final de março, inclui mais cinco categorias: Vida Sellvagem, Paisagem, Aventura, Gente e a votação popular Explorers’ Choice Award. No total, foram mais de mil imagens inscritas.

Felix Belloin registrou uma raposa-do-ártico se espreguiçan no isolado arquipélago norueguês de Svalbard, no extremo norte do globo, e venceu a categoria dedicada à vida selvagem do Capture The Extreme 2021 Foto: Felix Belloin / Shackleton/Divulgação
Felix Belloin registrou uma raposa-do-ártico se espreguiçan no isolado arquipélago norueguês de Svalbard, no extremo norte do globo, e venceu a categoria dedicada à vida selvagem do Capture The Extreme 2021 Foto: Felix Belloin / Shackleton/Divulgação

 

O flagrante de uma raposa-do-ártico se espreguiçando rendeu o prêmio na categoria Vida Selvagem a Felix Belloin. O bichinho, branco como a neve, foi registrado no remoto arquipélago norueguês de Svalbard, um dos pontos mais ao norte do planeta, e sonho de consumo de quem gosta de observação de animais. O lugar é um dos melhores também para ver de perto ursos polares, por exemplo.

“É realmente um momento natural num lugar tão extremo. Essas raposas-do-ártico enfrentam condições muito duras em Svalbard, mas essa foto mostra um momento de absoluta serenidade”, elogia um dos jurados no site oficial do concurso.

A melhor foto na categoria paisagem foi essa, de David Mantripp, que registrou uma fileira quase imperceptível de pinguins caminhando sobre um bloco de gelo gigante, num cenário típico da Antártica Foto: David Mantripp / Shackleton/Divulgação
A melhor foto na categoria paisagem foi essa, de David Mantripp, que registrou uma fileira quase imperceptível de pinguins caminhando sobre um bloco de gelo gigante, num cenário típico da Antártica Foto: David Mantripp / Shackleton/Divulgação

 

Na categoria Paisagem, a foto vencedora mostra uma fileira quase imperceptível de pinguins caminhando contra (ou a favor?) o vento sobre um gigante bloco de gelo na Enseada Antártica. No fundo, mais blocos enormes que pareciam montanhas saindo da água.

Segundo o relato do autor, David Mantripp, ao site da Shackleton, foto foi tirada em 2016, durante um mau tempo. “A maré alta e os ventos fortes deixavam a maioria das pessoas longe do convés do navio, mas eu consegui me encurralar num canto e fui recompensado com essa vista incrível”.

Durante uma expedição à Antártica, entre dezembro de 2019 e janeiro de 2020, o fotógrafo Diego Martinez registrou essa imagem do alpinista Alex Txikon no topo do Pico Peak. A foto foi a vencedora na categoria Aventura do Capture The Extreme 2021 Foto: Diego Martinez / Shackleton/Divulgação
Durante uma expedição à Antártica, entre dezembro de 2019 e janeiro de 2020, o fotógrafo Diego Martinez registrou essa imagem do alpinista Alex Txikon no topo do Pico Peak. A foto foi a vencedora na categoria Aventura do Capture The Extreme 2021 Foto: Diego Martinez / Shackleton/Divulgação

A foto escolhida na categoria Aventura foi a de Diego Martinez, que registrou o alpinista espanhol Alex Txikon durante a escalada do Pico Spigot, em Orne Harbour, na Antártica. Os dois participaram de uma expedição pelo continente entre dezembro de 2019 e janeiro de 2020. A foto foi tirada às 23h, mas nem parece, já que, no verão, praticamente não há noite no Polo Sul.

Segundo o site do concurso, um dos motivos pelo qual a obra venceu a categoria foi pelo fato de ela resumir o desafio da exploração da Antártica. “Uma pequena figura humana, solitária num lugar épico e perigoso”, avaliou um dos jurados.

A foto vencedora na categoria Gente é esse autorretrato de Wayne White, gerente na Estação Polo Sul Amundsen-Scott feito em setembro d 2020, quando os termômetros marcavam - 75.6°C Foto: Wayne White / Shackleton/Divulgação
A foto vencedora na categoria Gente é esse autorretrato de Wayne White, gerente na Estação Polo Sul Amundsen-Scott feito em setembro d 2020, quando os termômetros marcavam – 75.6°C Foto: Wayne White / Shackleton/Divulgação

E o que dizer desta, que talvez seja uma das selfies mais congelantes já feitas? Em 11 de setembro de 2020, Wayne White, então gerente na Estação Polo Sul Amundsen-Scott, na Antártica, fez esse autorretrato quando saiu da base para uma caminhada. Os termômetros marcavam – 75.6°C. Foi eleita a melhor na categoria Gente.

“Você pode sentir o frio nesta fotografia. A máscara congelada e as sobrancelhas cobertas de gelo traduzem o quão duro esse ambiente é. Dá uma ideia de como deve ser viver ou trabalhar num dos lugares mais frios da Terra”, justificou um dos jurados, no site do concurso.

A foto vencedora do Explorers' Choice Award é de Wilder Biral e mostra uma ilhota rochosa cercada pelas águas congeladas do Lago Baikal, na Rússia Foto: Wilder Biral / Shackleton/Divulgação
A foto vencedora do Explorers’ Choice Award é de Wilder Biral e mostra uma ilhota rochosa cercada pelas águas congeladas do Lago Baikal, na Rússia Foto: Wilder Biral / Shackleton/Divulgação

A foto preferida pelo público e vencedora do Explorers’ Choice Award mostra uma ilhota rochosa cercada pelas águas congeladas do Lago Baikal, na Rússia. A imagem, que recebeu mais de três mil votos, foi registrada por Wilder Biral durante uma expedição fotográfica pela Sibéria, em 2017, numa tarde em que os termômetros marcavam – 28°C.