Contemplando a preservação ambiental, abertura da licitação do Parque dos Poderes será em 20 de janeiro

A Agesul (Agência Estadual de Gestão de Empreendimentos) publicou nesta sexta-feira (18) o aviso de licitação, do tipo menor preço, da primeira revitalização da história do Parque dos Poderes. A intervenção engloba a restauração funcional do pavimento, drenagem de águas pluviais, e urbanização com implantação de ciclovia e acessibilidade de calçadas, sem supressão vegetal. A abertura será no dia 20 de janeiro, às 8h, na avenida Desembargador José Nunes da Cunha, s/n, Bloco 14.

O projeto, com valor estimado de R$ 19 milhões, inclui o recapeamento de 110 mil m² de ruas, implantação de 4 quilômetros de pista de caminhada e corrida, 4,2 quilômetros de ciclovia no canteiro central, acessibilidade, paisagismo, 70 bancos de descanso, três estações de ginástica, reforma dos estacionamentos e instalação de 41 abrigos nos pontos de ônibus e de lixeiras, além da construção de um Centro de Apoio ao Usuário com banheiros masculinos, femininos e adaptados para pessoas com deficiência.

O governador Reinaldo Azambuja garantiu que toda a revitalização será feita sem desmatamento no Parque dos Poderes. “Tem muita gente dizendo: o governador vai desmatar. Não é verdade. Realmente, nós tínhamos uma lei que permitia construir um novo prédio da Secretaria de Fazenda, a Procuradoria-Geral do Estado, e nós mudamos, não vamos mais abrir essas áreas no Parque dos Poderes, vamos preservar essas áreas intactas porque isso é um patrimônio do sul-mato-grossense. Embora seja necessário ampliar alguns prédios públicos, nós vamos fazer sem nenhum dano ambiental, sem desmatar”, afirmou Reinaldo Azambuja.

Sede dos Poderes Executivo, Legislativo e Judiciário e do Ministério Público, o parque, localizado em Campo Grande, é frequentado por muitas famílias e habitado por diversos animais silvestres. Ele foi criado há quase quatro décadas e está sob responsabilidade do Governo do Estado.