20.8 C
Campo Grande
terça-feira, maio 21, 2024

Construção Civil lidera geração de novas vagas em Campo Grande

O ano de 2024 iniciou com um cenário melhor do que o anterior em Campo Grande. Puxado pelas contratações da Construção, o saldo de novas vagas na Capital atingiu 945 no mês de janeiro, quase 4 vezes maior que o registrado no mesmo período do ano passado (+250).

Os números foram puxados pelo saldo de 559 da Construção e de 425 do setor de Serviços. Indústria, com 126 e Agropecuária com 83 vem na sequência. O Comércio foi o único com saldo negativo no mês (-248), movimento normal para o período. Ainda assim, o saldo negativo do comércio ficou melhor do que o registrado no ano passado (-350).

O saldo de janeiro de 2024 é também o segundo melhor da série histórica do CAGED, ficando atrás apenas de janeiro de 2021, ano que foi fortemente influenciado pela reabertura econômica após as ondas iniciais da pandemia da Covid-19.

Proporcionalmente, Campo Grande se posicionou na 7ª posição entre as capitais que mais geraram novas vagas formais de trabalho, com crescimento de +0,39%.

Os bons números do mercado formal de trabalho na capital também influenciam na taxa geral de desocupação. O número de pessoas sem trabalho recuou 0,5 ponto percentual (p.p.) no quarto trimestre de 2023, em comparação com o terceiro trimestre, chegando a 2,6%. Este número é o menor já registrado para o município de Campo Grande desde que a PNAD Contínua (Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios) passou a ser divulgada ao nível de capitais em 2012.

Campo Grande também encerrou o ano de 2023 como a capital com a menor taxa de desocupação do País. Em seguida aparecem as cidades de Florianópolis (SC) com 4,3%, e Palmas (TO) com 4,7%.

O superintendente de Indústria, Comércio, Serviços e Comércio Exterior da Sidagro, José Eduardo Corrêa dos Santos, frisa que os dados do CAGED de janeiro foram muito positivos, apesar dos desafios enfrentados no último ano. “Além dos números terem sido quase 4 vezes maiores do que janeiro do ano passado, o saldo foi puxado pela Construção Civil, o que demonstra que Campo Grande entra em 2024 em franca expansão”.

O secretário da Sidagro, Adelaido Vila, complementa e frisa que Campo Grande tem conseguido se consolidar nas primeiras posições entre as 27 capitais do País como polo de crescimento e de geração de novos negócios. “Apenas em 2023 a cidade ampliou em 4 mil o número de empresas ativas, o que se reflete nos bons números de empregabilidade. Alguns segmentos, inclusive, já têm relatado escassez de mão de obra. A Funsat tem anunciado diariamente mais de 2 mil vagas e muitas não são preenchidas com facilidade”.

“O desafio como gestão municipal é apoiar os empresários na contínua qualificação da mão de obra local. Mensalmente, tanto a Sidagro como a Sejuv oferecem uma série cursos de capacitação. No final de dezembro sancionamos a lei de redução do ISS de 5% para 2% para franqueadores com sede em Campo Grande, visando atrair um segmento que movimenta bilhões de reais pelo País”, pontua a prefeita Adriane Lopes.

Para fomentar o setor de franquias, acontece nesta quarta-feira, 20 de março, em parceria com a Associação Brasileira de Franquias, um evento que visa reunir os protagonistas do setor de franchising para discutir as tendências, desafios e oportunidades que permeiam esse mercado tão promissor. A inscrição gratuita pode ser realizada através do link https://abre.ai/123abrindo.

FonteAgência Municipal de Campo Grande