Comissão Especial alerta para falta de leitos e fala das medidas estratégicas no combate ao coronavírus

A Comissão Especial em apoio ao Combate ao COVID-19, da Câmara Municipal de Campo Grande, fez um alerta importante sobre a insuficiência de leitos na cidade, caso não sejam devidamente adotadas as medidas de controle para reduzir a curva de transmissão do coronavírus. Durante live no Facebook, nesta quarta-feira (15), também foram apresentadas as ações e detalhada a participação dos vereadores nas medidas para conter a disseminação do coronavírus na cidade.

O debate contou com o vereador Dr. Lívio, presidente da Comissão e também da Comissão de Saúde da Casa de Leis, e o vereador Eduardo Romero, que integra a comissão especial e é presidente da Comissão de Finanças e Orçamento da Casa de Leis, respondendo a várias perguntas feitas pelos participantes. Também integram a ação os vereadores Pastor Jeremias Flores, Betinho e Delegado Wellington.

Campo Grande teve duas mortes e 60 casos confirmados da doença. São 9 pacientes internados em UTI (Unidade de Terapia Intensiva). O vereador Dr. Livio apresentou os dados e fez o alerta sobre a insuficiência de leitos, diante do avanço de casos. A taxa de ocupação de leitos gerais da cidade, não destinados para pacientes de coronavírus, está hoje em 98%. A Capital conta com 382 leitos de UTI (incluindo 48 semi-intensivas) e 1.832 leitos clínicos, contabilizando Sistema Único de Saúde (SUS) e hospitais particulares. Dos 82 destinados a pacientes com o Covid-19, 3,5% estão ocupados.

“Com a doença avançando esses leitos rapidamente serão preenchidos. Por isso precisamos cuidar para que a curva de transmissão seja a mais baixa possível”, disse o vereador Dr. Livio. Como médico, ele esclareceu que 5% dos pacientes com coronavírus vão precisar de internação clínica e 1% de leitos de UTI. “Temos um cenário em que não existe um amortecimento suficiente para atender a Covid-19”, alertou. Por isso, os vereadores têm acompanhado as ações da Sesau para ampliar essa capacidade. Uma das alternativas que pode ser viabilizada em breve é a compra de 100 respiradores para a unidade do Hospital do Trauma, vinculado à Santa Casa. O vereador Eduardo Romero complementou sobre a necessidade de ampliar os cuidados e manter atenção para definir estratégias diárias com base no monitoramento dos casos.

Câmara – Mobilização para ações sociais, participação em reuniões acerca das medidas restritivas adotadas pelo Executivo, debates com Ministério Público e instituições, impactos na economia, projetos de lei, cedência de veículos para auxiliar na vacinação contra a gripe e destinação de emendas para entidades sociais e de saúde foram alguns dos pontos destacados sobre a participação dos vereadores nos debates e definições.

Além da saúde, outra atuação é na área de assistência social. Com apoio de igrejas, organizações e comerciantes foi possível angariar alimentos que foram doados, por meio da Secretaria de Assistência Social, às famílias carentes. Ainda, os moradores de rua foram abrigados em escolas, onde recebem todas as refeições.

Também neste mês, a Câmara Municipal aprovou projeto de lei com a lista de entidades beneficiadas com R$ 5,2 milhões por meio do Fundo Municipal de Investimentos Sociais. Os recursos serão repassados para instituições de assistência social e de saúde. “É uma forma dessas instituições continuarem com seu trabalho neste momento de dificuldade que estamos enfrentando”, disse Romero. (Para saber mais sobre o assunto clique aqui)

Ainda, os vereadores participaram das reuniões com comerciantes para definir, de forma equilibrada, como assegurar a retomada das atividades mantendo todas as medidas de segurança para evitar a disseminação do Covid-19. Também houve a antecipação dos fundos de investimentos para profissionais da cultura, que acabaram ficando sem opções de renda no período.  “Todas as ações são possíveis porque o coletivo está envolvido, os vereadores estão unidos para ajudar a cidade a sair dessa pandemia”, afirmou o vereador Eduardo Romero, mencionando o envolvimento de todos os gabinetes, voltados a determinados segmentos, mobilizando voluntários e colaboradores.

Houve a decisão de manter a Casa de Leis funcionando e as sessões ordinárias, para votação de projetos, continuam sendo realizadas às terças e quintas-feiras, a partir das 9 horas, fechadas ao público, mas com transmissão ao vivo pelo Facebook www.facebook.com/camaracgms. Desta forma, foi possível, por exemplo, aprovar a criação do Fundo Municipal de Combate ao Coronavírus, ferramenta que a prefeitura pode utilizar para que sejam depositadas todas as doações para enfrentamento à pandemia. A lei assegura transparência na prestação de contas. Ainda, os vereadores aprovaram dez planos de carreiras de profissionais da saúde, que atuam na linha de frente neste período de pandemia.

A Câmara auxiliou ainda a viabilizar estrutura para a teleconsulta, conforme detalhou o vereador Dr. Livio. Por meio da Comissão, ele intermediou a doação de 170 celulares pela Receita Federal, sendo 100 destinados à Secretaria Municipal de Saúde e outros 70 à Secretaria Estadual de Saúde. O vereador Betinho, também da Comissão Especial, assegurou a doação de headset (microfone com fone de ouvido) para serem usados pelos atendentes. A teleconsulta funciona no 2020-2170. 

A Câmara lançou o site coronavirus.camara.ms.gov.br para levar aos cidadãos informações seguras e de utilidade pública sobre o Covid-19. O objetivo é que a população possa encontrar facilmente os atos e normas publicados que se referem às medidas restritivas, telefones úteis, dados sobre prevenção e tratamento.

Vacina contra gripe – Outra atuação dos vereadores está na logística da vacinação contra a gripe. A Câmara Municipal cedeu veículos para levar os profissionais de saúde que vacinam os idosos acamados ou com grave dificuldade de locomoção em casa. A medida acelerou a imunização, medida importante para prevenir contra essa doença, facilitar diagnóstico e evitar que o sistema de saúde fique ainda mais sobrecarregado. Com o suporte da Câmara, foi possível reduzir da média de 60 dias a vacinação em casa para 10 dias.

O vereador Eduardo Romero destacou que os vereadores prestam esse apoio logístico, no transporte dos profissionais de saúde às casas das pessoas a serem vacinadas. No entanto, toda definição sobre quem será vacinado é feita pela Secretaria Municipal de Saúde, que já conta com esse cadastro nas unidades de saúde. O Ministério da Saúde repassa as doses aos Municípios de forma fracionada.

Os vereadores mantêm esse auxílio nesta segunda fase de imunização que começa na quinta-feira. Além de manter a vacinação para profissionais da saúde e pessoas com mais de 60 anos de idade, a campanha abrange agora portadores de doenças crônicas não transmissíveis e outras condições clínicas especiais, funcionários do sistema prisional, adolescentes e jovens com idades entre 12 e 21 anos sob medidas socioeducativas, população privada de liberdade e foram adicionados recentemente ao público alvo dessa campanha os caminhoneiros, profissionais do transporte coletivo (motoristas e cobradores) e trabalhadores portuários.