Com foco na autoestima, Subsecretaria da Juventude leva palestra a presídio feminino

A Prefeitura de Campo Grande, por meio da Subsecretaria da Juventude, e em parceria com a Agência Estadual de Administração do Sistema Penitenciário, está realizando uma série de palestras no presídio feminino Irmã Irma Zorzi, com o objetivo de resgatar a autoestima das apenadas e ajudá-las a mudar de vida quando estiverem em liberdade.

O programa vai durar oito semanas consecutivas e acontecerá de 15 em 15 dias no presídio. Em cada palestra, cerca de 20 mulheres participam da ação que finaliza com um Dia de Beleza.

19396987_476843912659820_9054676929924799620_n“A gente tenta trazer o melhor para o dia a dia dessas mulheres. Nosso objetivo aqui é promover o resgate da autoestima, tentar fazê-las se sentir um pouco melhor. Nós sabemos que a vida aqui não e fácil e a gente não está para julgar. Por meio deste projeto da Subsecretaria Municipal da Juventude, nós estamos tendo a oportunidade de fazer um pouquinho para que elas sejam felizes no dia a dia. Essa é a finalidade do projeto”, explica Marcos Rogério Andrade, gestor de projeto da Subsecretaria Municipal da Juventude.

Subsecretário Municipal da Juventude, Maicon Nogueira, pontua a satisfação de oportunizar a capacitação das mulheres. “Todas merecem uma segunda chance, uma oportunidade para trilhar um caminho diferente”, frisa.

Para o diretor-presidente da Agepen, Aud de Oliveira Chaves, ações que proporcionam a melhoria da autoestima são fundamentais no ambiente carcerário que, pela característica de aprisionamento, muitas vezes provoca tensões, angústias e, até mesmo, depressão. Isso ocorre principalmente entre o público feminino, já que muitas mulheres são abandonadas pelos esposos que geralmente estão presos ou, em geral, não têm o mesmo companheirismo.

IMG_9935Na opinião do dirigente, a partir do momento em que as custodiadas recebem estímulo para acreditarem no seu potencial, de que podem escrever uma história de vida diferente, as chances de não se envolverem novamente, de quebrarem o ciclo da criminalidade, aumentam significativamente.

“A principal responsável pela mudança é a própria detenta, ela tem que acreditar que é capaz de ter uma vida digna, e, sem a autoestima fortalecida, essa transformação fica muito difícil”, comenta o diretor-presidente.

Para as detentas M.I.R. e L., as palestras são um momento de nova aprendizagem para buscar caminhos diferentes.

“As palestras são muito boas porque a gente já vai aprendendo novas coisas para lá fora ser melhor. Tive muitos ensinamentos que vou acatar para sempre, como me portar ao procurar um trabalho, como cuidar da aparência, como me comportar na frente do público. Eu não tinha essa percepção. Agora sei que tenho que ver o jeito que me sento, que falo. A minha expectativa é muito grande para quando eu sair daqui”, revela M.I., ao enfatizar que no próximo ano termina sua pena e quer mudar de vida junto aos seus filhos.

Já a jovem L., acredita que os novos aprendizados serão um boa influência para todas. “Muito importante o que estamos aprendendo aqui, principalmente para influenciar de maneira melhor quem ainda pensa em sair daqui e retomar a vida. Ensina a não desistir dos sonhos. Muito importante para quem quer ter uma atitude e um caminho certo. Quando eu sair daqui quero mudar meu foco e trabalhar”, finaliza.

Fonte: Site da Prefeitura Municipal de Campo Grande