Colocar em dúvida resultado da eleição é defender ‘interesse próprio’, diz Fachin

O presidente do Tribunal Superior Eleitoral, ministro Edson Fachin, afirmou nesta segunda-feira (1º) que “desqualificar a segurança das urnas eletrônicas” tem como único objetivo “tirar dos brasileiros a certeza de que seu voto é válido e sua vontade foi respeitada”.

A afirmação do presidente do TSE foi feita na abertura do semestre na Corte Eleitoral, em um discurso sem citar nomes. O presidente Jair Bolsonaro tem feito, nos últimos meses, ataques sem provas às urnas e ao sistema eleitoral brasileiro.

“Quem, portanto, vocifera não aceitar resultado diverso da vitória não está defendendo a auditoria das urnas eletrônicas e do processo de votação. Está defendendo apenas o interesse próprio de não ser responsabilizado pelas inerentes condutas ou pela inaptidão de ser votado pela maioria da população brasileira”, afirmou o ministro.

 

“O TSE e os tribunais regionais eleitorais, o Poder Judiciário Eleitoral, compreendendo, portanto, a advocacia e o Ministério Público, não economizam esforços por conferir transparência e pela participação das entidades fiscalizadoras no processo eleitoral”, disse.

O presidente do STF, ministro Luiz Fux, também discursou a favor das urnas eletrônicas na abertura dos trabalhos da Corte nesta segunda. Fux declarou que o sistema eleitoral brasileiro é um dos mais confiáveis e eficientes do mundo.

Segurança comprovada

 

Fachin também fez referência ao histórico de quase três décadas de utilização da urna eletrônica nas eleições gerais e regionais em todo o país, sem que houvesse qualquer registro comprovado de fraude ou adulteração.

FontePor Márcio Falcão e Fernanda Vivas, TV Globo — Brasília

DEIXE UMA RESPOSTA

Digite seu comentário!
Digite seu nome aqui