“Clima” do tratado de Itaipu, também influenciou em cancelamento da viagem Bolsonaro, diz imprensa paraguaia

O mau tempo foi a justificativa para o presidente da República, Jair Bolsonaro, não ter comparecido na manhã desta segunda-feira (13), ao lançamento da pedra fundamental da ponte sobre o Rio Paraguai que ligará Porto Murtinho (MS) a Carmelo Peralta, na província de Alto Paraguai, no país vizinho. A imprensa paraguaia, porém, tem pouca importância ao evento da Rota Bioceânica.  

Para os principais jornais paraguaios, uma renegociação do tratado de Itaipu entre os dois países pode ter influenciado na decisão da comitiva do presidente brasileiro em não ir à palavra. A diplomacia brasileira tem sido dura com os paraguaios, pois quer reduzir o quilowatt / hora pago pela energia da binacional para R $ 18,95 mês, enquanto os paraguaios, querem manter o valor em US $ 22,60 mês.

A manchete do ABC Color desta segunda-feira, pouco falava da ponte fundamental para a Rota Bioceânica, o título era: Encontro Marito (Marcio Abdo Benítez, presidente do Paraguai) – Bolsonaro: “Abdo tem em suas mãos evitar uma nova entrega”. Para setores da sociedade paraguaia, recuar na tarifa de Itaipu, seria entregar parte das riquezas do país vizinho ao Brasil.

Já o segundo maior jornal do Paraguai, o Última Hora, ironizava, usando uma construção em duplo sentido, a ausência de Jair Bolsonaro em Carmelho Peralta. “Mario Abdo e Bolsonaro não se reúnem“ por causa do clima ”.

 

IMPASSE

Benítez e Bolsonaro têm uma boa relação, mas o presidente brasileiro, depois de recebê-lo no mês passado em Brasília, tem evitado encontros-lo novamente antes do dia 31 de dezembro. Uma renegociação do tratado de Itaipu deve ocorrer até o fim deste ano.

As federações da indústria e do comércio do Paraguai são contra a redução da tarifa, como quer o governo brasileiro. O impacto da redução da tarifa no faturamento da Itaipu Binacional seria de US $ 600 milhões (R $ 3,4 bilhões). O lado paraguaio não quer abrir mão de metade deste faturamento, que representa a possibilidade de investimentos no País, como em infraestrutura, por exemplo.

Do lado brasileiro, que fica com sua cota da energia gerada por Itaipu (a segunda maior hidrelétrica do mundo em instalação instalada) e ainda compra quase 90% da cota paraguaia, é mais interessante reduzir o valor pago pela energia, o que geraria reflexo na conta de luz dos brasileiros.

As pontes entre Porto Murtinho e Carmelo Peralta, lançada nesta segunda-feira, e entre Foz do Iguaçu (PR) e Presidente Franco (Cidade da região Metropolitana de Cidade de Leste) são bancadas exclusivamente pela Itaipu Binacional.

Só a ponte sobre o Rio Paraguai em Porto Murtinho, custará US $ 85 milhões (R $ 481 milhões). O custo subiu R $ 100 milhões desde o lançamento, que ocorreu em 2018.

CANCELAMENTO

Jair Bolsonaro chegou a tentar pousar em Bonito, de onde seguiria de helicóptero para Carmelo Peralta na manhã desta segunda-feira. Não cumpriu uma agenda, segundo a presidência, por causa do tempo chuvoso no momento da agenda.  

O Aeroporto de Bonito, que recebe voos comerciais da Gol com Boeing 737-700, tem um teto de 300 metros para operar visual. No momento programado para o pouso, had a forte neblina on city, and a teto de 90 metros, segundo apurou o Correio do Estado.  

Bolsonaro então voou a Campo Grande e cumpriu uma agenda não prevista. Foi ao Comando Militar do Oeste, encontrar com o comandante general Fernando José Santana Soares e mais tarde, levado pelo fiel escudeiro e deputado estadual, Coronel David (sem partido) dirigiu-se ao Mercadão , no Centro da cidade, onde comeu pastel, tomar tubaína, e jogou na Mega-Sena da Virada.  

Depois da ida ao Mercadão, voltou à Base Aérea e Decolou para Brasília (DF) . 

FonteCorreio do Estado/ Eduardo Miranda