Cirurgia de Papa Francisco é bem-sucedida, diz boletim

A cirurgia do Papa Francisco, de 84 anos, foi bem-sucedida, segundo o boletim médico divulgado na noite deste domingo (4). O pontífice foi internado em um hospital de Roma, na manhã de hoje para uma cirurgia no intestino grosso (veja detalhes).

O boletim divulgado pelo Vaticano afirma que que o “Santo Padre reagiu bem à operação realizada sobre anestesia geral”.

A operação, que já estava agendada, foi realizada para reparar um estreitamento no cólon (estenose), que dificulta a passagem das fezes.

Cerimônia na Praça de São Pedro

 

Três horas antes do comunicado da Igreja Católica, o pontífice chegou a participar da tradicional cerimônia religiosa na Praça de São Pedro, onde reza aos domingos com seus seguidores.

Em seu discurso, o Papa Francisco informou que viajará em setembro para a Hungria e a Eslováquia, mas não mencionou que seria submetido a uma cirurgia.

Há uma semana, o Papa Francisco pediu que seus fiéis orassem de uma maneira especial.

Entenda o procedimento

 

Abaixo, leia:

  • o que causa a doença,
  • quais os sintomas que o pontífice deve ter apresentado;
  • qual o grau de complexidade da operação e como ela é feita;
  • de que modo a recuperação poderá afetar a rotina do Papa.

 

O que é estenose diverticular do cólon?

 

Para compreender o que é “estenose diverticular do cólon”, é preciso saber o significado de “divertículo”.

Imagine que o intestino seja um cano. Na terceira idade, é comum que apareçam “saquinhos” na parede desse tubo — eles surgem principalmente pelo enfraquecimento natural dos tecidos. Essas tais “bolsas” são os divertículos.

“Depois dos 60 anos, praticamente 100% dos idosos têm esse problema, em maior ou menor grau. Nem todos apresentarão sintomas: alguns têm dor, outros desenvolvem complicações maiores”, explica Juliano Barra, cirurgião do aparelho digestivo no Hospital Sírio-Libanês em Brasília (DF).

Fachada do Hospital Gemelli, onde o Papa passará por cirurgia no intestino — Foto: Reuters

Fachada do Hospital Gemelli, onde o Papa passará por cirurgia no intestino — Foto: Reuters

“Quando há inflamação, chamamos de diverticulite, que é um quadro agudo a ser tratado com remédios via oral ou endovenosa. Caso chegue a ter perfuração ou sangramento do intestino, o paciente precisará de cirurgia com urgência.”

O médico explica que essas inflamações deixam uma cicatriz no intestino, fazendo com que a parede dele fique mais dura e grossa. “Se isso se repete, uma vez atrás da outra, o ‘cano’ que tinha 5 centímetros de calibre passa a ter 1 ou 2 centímetros.”

É esse estreitamento do órgão que recebe o nome de “estenose”.