Cinematuridade tem 1ª edição de 2024 nesta quarta-feira com exibição de longa e discussão sobre o envelhecer

Em uma pequena cidade japonesa, chamada Narayama, a tradição é clara: quem passa dos 70 anos deve deixar a vila para encontrar a morte no topo da montanha. Próximo da data, o personagem Orin tem uma grande preocupação, precisa encontrar uma esposa para o filho mais velho antes de chegar a vez de subir o monte.

Este é o enredo do filme japonês “A Balada de Narayama”, de 1983, e que vai subsidiar as discussões da primeira edição do Cinematuridade deste ano. Realizado pela Subsecretaria de Políticas Públicas para Pessoa Idosa, o projeto une audiovisual e debate com profissionais acerca do envelhecimento.

“A ideia é fazermos uma vez ao mês no MIS (Museu da Imagem e do Som) e também levar o Cinematuridade para outros locais e municípios do Estado. Depois do longa, as pessoas ficam e participam colocando suas opiniões e percepções acerca do que viram, o que é muito bacana porque a visão de um vai completando a do outro, já que as pessoas veem a mensagem de determinada forma”, descreve a subsecretária Zirleide Barbosa.

A cada encontro, um profissional da rede de atendimento à pessoa idosa é convidado a trazer o assunto visto na tela para o dia a dia dos sul-mato-grossenses. Nesta edição, o diálogo será mediado pelo pesquisador de Envelhecimento Humano, Cuidados Paliativos, Espiritualidade e Religiosidade em Saúde, professor Ramon Moraes Penha, da UFMS.

O Cinematuridade será realizado no MIS, na quarta-feira, dia 28 de fevereiro, às 14h, na Avenida Fernando Corrêa da Costa, 559 – 3º andar. A entrada é gratuita e aberta a todos.

Paula Maciulevicius, Comunicação da SEC

FonteGoverno MS