China cobra cuidado do Brasil para manter boa relação com o país

O ministro-conselheiro Qu Yuhui, porta-voz Embaixada da China no Brasil, criticou nesta sexta-feira, 10, os ataques de membros do governo de Jair Bolsonaro contra o país que é o maior parceiro comercial do Brasil.

“Nossas economias são muito complementares. Temos necessidades cotidianas e estratégicas para fomentar a nossa cooperação. Mas isso requer um cuidado, um carinho muito especial. Temos que colocar tijolos nessa parceria, em vez de tirar os alicerces desse edifício”, afirmou em entrevista coletiva.

Ele se referia aos ataques à China perpetrados pelo deputado Eduardo Bolsonaro e pelo ministro da Educação, Abraham Weintraub.

Qu Yuhui criticou as duas principais medidas defendidas por Jair Bolsonaro para lidar com a crise do coronavírus, que são o uso indeterminada da cloroquina e o relaxamento do isolamento.

“Não é hora de relaxar. Não estou olhando com bons olhos as medidas de afrouxamento tomadas por alguns estados. No Brasil, a curva ainda está em expansão. E na China continuamos a fazer enormes esforços para continuar a combater a Covid-19”, declarou.

Embaixada Chinesa