Cerimônia de abertura do revezamento da tocha olímpica será fechada ao público

O Comitê Organizador dos Jogos de Tóquio confirmou que a cerimônia de abertura do revezamento da tocha olímpica não será aberta ao público. A formalidade será realizada no dia 25 de março em um centro de treinamento em Fukushima, usado como base de ação na crise provocada pelo terremoto e o tsunami que devastaram a região em 2011.

Apenas os participantes da cerimônia e um número limitado de convidados serão autorizados a comparecer após serem testados para a Covid-19. A intenção supostamente é evitar aglomerações. Mas a organização afirma que o público poderá apoiar o revezamento ao longo do percurso, com a orientação de evitar aglomerações e usar máscara.

Ex-esquiador Sho Endo é acompanhado por crianças em ensaio do revezamento da tocha — Foto: Yasushi Kanno / Yomiuri / The Yomiuri Shimbun via AFP

Ex-esquiador Sho Endo é acompanhado por crianças em ensaio do revezamento da tocha — Foto: Yasushi Kanno / Yomiuri / The Yomiuri Shimbun via AFP

Nesta segunda-feira a imprensa japonesa acompanhou um ensaio do revezamento no trecho de Fukushima percorrido pelo ex-esquiador Sho Endo, que foi acompanhado num percurso de 500 metros por cerca de 20 crianças. Ele estará no segundo dos três dias em que a tocha percorrerá a cidade.

O revezamento será iniciado no dia 25 pelas integrantes da seleção japonesa de futebol feminino, que venceu a Copa do Mundo de 2011 logo após a tragédia em Fukushima. Nem todas as campeãs, porém, estarão presentes.

A atacante Nahomi Kawasumi desistiu de participar do revezamento. No ano passado, antes do adiamento dos Jogos, ela abriu mão de correr a perna por medo de se contaminar com o novo coronavírus. Este ano novamente ela decidiu não integrar o evento alegando que a pandemia de Covid-19 ainda está em curso e ela vive nos Estados Unidos, onde joga pelo Sky Blue FC.