CCJ será presidida por uma mulher sul-mato-grossense, diz Simone Tebet

Nome da senadora de MS é o favorito do PSDB para o cargo, mas para isso precisa de indicação do MDB, seu partido atual

Simone Tebet foi recebida com festa no Aeroporto da Capital (Foto: Paulo Francis)

A senadora Simone Tebet (MDB) já fala como presidente da CCJ (Comissão de Constituição e Justiça). Ao desembarcar no Aeroporto Internacional de Campo Grande na tarde desta quinta-feira (7), a parlamentar disse que “quem vai comandar a CCJ será uma mulher sul-mato-grossense”.

Simone lembrou que regimentalmente quem indica o candidato é o PSDB, pelo tamanho da bancada, porém os tucanos declinaram em favor dela. “O compromisso é de que eu seja indicada para presidir, senão a vaga fica com o PSDB”, disse, agradecendo a indicação publicado partido aliado.

Porém, Simone lembrou que precisa da indicação do próprio partido, o MDB, para ocupar o posto dentro da Casa. Quem faz a indicação é o líder da bancada, senador Eduardo Braga (AM), aliado de Renan Calheiros (AL), com quem Simone disputou a indicação para presidência do Senado e deixou o clima ruim dentro do partido.

Simone citou o esforço do PSDB, PSD e PSL na disputa pela indicação e disse que Renan Calheiros “não é um mito. O que até aquele momento era de que ele era um mito, que não poderia ser derrotado”, disse.

Agora, segundo a parlamentar, o Senado tem que cumprir o papel de mudanças no país. “Tivemos um papel importante na história da política num momento de crise do país. A partir de agora a população vai respeitar ainda mais”, disse, lembrando que houve renovação de 85% no Senado.