Caso Madeleine McCann: promotor alemão escreve à família dizendo que menina está morta, mas sem revelar como sabe

O promotor alemão Hans Christian Wolters escreveu aos pais de Madeleine McCann que a garota desaparecida desde 2007 está morta, informou o jornal “Mirror” nesta segunda-feira (15). Ele, entretanto, disse que “não poderia dizer como sabe” da morte da menina.

“Claro que consideramos que vá ser muito difícil para a família quando contarmos que presumimos que a Madeleine está morta. Mas não podemos dizer por que ela morreu”, afirmou Wolters ao “Mirror”.

Maddie — como Madeleine era conhecida — desapareceu em maio de 2007 de um hotel na Praia da Luz, no sul de Portugal enquanto os pais saíam para jantar. A investigação passou por reviravoltas ao longo dos últimos 13 anos, sem que autoridades chegassem a um esclarecimento do caso.

No início do mês, o promotor havia afirmado que a investigação considera que Madeleine está morta — o que as autoridades do Reino Unido evitam confirmar. Na ocasião, a polícia da Alemanha apresentava o novo suspeito de envolvimento no caso: Christian Brückner, um alemão de 42 anos já detido por crimes sexuais.

A polícia acredita que Brückner estava na área onde a criança de 3 anos foi vista pela última vez, em uma praia no sul de Portugal em maio de 2007.

  • VEJA TAMBÉM: Polícia portuguesa diz que provas contra suspeito são contundentes

Brückner é conhecido pelas autoridades de segurança da Alemanha e foi condenado no ano passado por estuprar uma idosa norte-americana de 72 anos na Praia da Luz, em 2005. Ou seja, o crime ocorreu na mesma cidade onde Madeleine desapareceu, dois anos depois.