CASA DE PASSAGEM MUDA DE ENDEREÇO E AMPLIA NÚMERO DE VAGAS PARA USUÁRIOS

Com foco no acolhimento de migrantes, imigrantes e idosos, a Casa de Passagem Resgate, uma Organização da Sociedade Civil (OSC) cofinanciada pela prefeitura por meio da Secretaria Municipal de Assistência Social (SAS), mudou de endereço para ampliar o número de vagas e melhorar a acessibilidade dos usuários.  A inauguração do novo espaço aconteceu nesta quarta-feira (23), com a presença da vice-prefeita Adriane Lopes e do secretário municipal de Assistência Social José Mário Antunes da Silva.

Funcionando desde 2019 em um prédio próximo ao antigo Terminal Rodoviário, na Rua Cândido Mariano, a Casa de Passagem é uma unidade de acolhimento institucional para adultos e famílias, direcionada ao atendimento de migrantes e imigrantes e que no endereço antigo tinha capacidade para atender, no máximo, 38 pessoas.

Com a pandemia, surgiu a necessidade de criar mais vagas, o que levou os dirigentes a buscarem um novo local, que agora tem capacidade para acolher até 80 usuários por mês, aumentando em média 110% o número de vagas, ampliando a rede socioassistencial para este público.

Antes de serem encaminhados à Casa de Passagem, os usuários passam por atendimento no Centro POP e pelo Serviço Especializado em Abordagem Social (SEAS), que faz uma triagem e os encaminhamentos adequados à cada unidade de acolhimento.

A vice-prefeita Adriane Lopes destacou o empenho da gestão municipal e da equipe da Casa de Passagem para transformar o atendimento no espaço, uma referência. “Hoje estamos dando início a um trabalho que será referência para o Brasil e o mundo. Agradeço muito o apoio do prefeito Marquinhos Trad, que nos dá liberdade para desenvolver nossas ações. É uma gestão que será reconhecida por um trabalho feito com humanidade e respeito ao próximo. Obrigada às pessoas que estão abraçando esse projeto com o município”, ressaltou.

O secretário municipal de Assistência Social, José Mário Antunes da Silva, lembrou que o trabalho para ampliar a oferta de vagas começou no início da pandemia. “Foi um período de incertezas, mas estamos aqui para fazer a diferença e sempre tivemos o apoio do prefeito que foi sensível à nossa necessidade. As parcerias e a união dos esforços são fundamentais no trabalho de transformação das pessoas”, pontuou.

Estrutura

O gestor da Casa de Passagem, pastor Samir Zayed, explicou que o novo prédio, localizado na região central, passou por uma reforma completa, já que estava abandonado há cinco anos. Além da troca da fiação elétrica e hidráulica, a unidade recebeu pintura nova e readequação de espaços.

Ao todo são 20 quartos com banheiros individuais adaptados, cozinha, refeitório, lavanderia, espaços de convivência, recepção e salas administrativas. Também foram instalados vários pontos para higienização das mãos, seguindo as normas de biossegurança.

A Casa conta com 16 funcionários, incluindo equipe de psicólogos e assistentes sociais, que fazem os encaminhamentos de acordo com as necessidades de cada usuário, buscando sua reinserção na sociedade e favorecendo o acesso às políticas públicas setoriais visando também, o resgate dos vínculos familiares.

Assim como nas unidades da SAS, são oferecidas quatro refeições por dia, preparadas pela equipe de cozinheiros da própria Casa de Resgate.

“Este prédio atende a todas as necessidades de nossos usuários, que desfrutam de mais comodidade. É a realização de um sonho que só foi alcançado graças a um trabalho de parceria e dedicação dos envolvidos”, frisou o gestor.

Respeito

Acolhido pela segunda vez no local, o autônomo Bruno Prado Miranda da Silva já esteve no espaço há quatro meses. Vindo de São Paulo no ano passado para tratar de questões familiares, ele chegou a alugar uma casa em Campo Grande, mas sofreu um acidente do qual ainda se recupera.  “Não consegui mais trabalhar depois do acidente, mas a equipe da Casa está me ajudando a dar entrada em meus benefícios e meu propósito é me reerguer novamente e sei que vou conseguir esse apoio porque aqui todos nos tratam com respeito”, disse.

A entrega da nova sede contou com a presença da secretária-adjunta da SAS, Thelma Fernandes; da superintendente da Rede de Proteção Especial da SAS, Tereza Cristina Miglioli Bauermeister; do presidente da Casa de Passagem, pastor Samir Zayed e do subsecretário de Defesa dos Direitos Humanos, Amadeu Borges.