Campo Grande tem 5ª menor inflação entre capitais em 2018 e tomate é o vilão, com variação de preços de 51% no ano

Campo Grande registrou em 2018 a quinta menor inflação entre 16 capitais em que o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) mede o indicador por meio do Índice de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA).

Segundo os dados divulgados nesta sexta-feira (11), a capital sul-mato-grossense registrou no acumulado de janeiro a dezembro do ano passado uma inflação de 2,98%. O índice foi menor apenas em: Aracaju (SE), com 2,64%; São Luís (MA), com 2,65%; Recife (PE), com 2,84% e Fortaleza (CE), com 2,90%.

O índice registrado em Campo Grande também ficou abaixo do percentual nacional, que atingiu os 3,75%.

Dos nove grupos de produtos e serviços que o IBGE apura a variação de preços para calcular o IPCA, sete registraram aumentos em 2018: Educação, com 6,09%; Habitação, com 4,63%; Saúde, com 4,36%, Alimentação, com 3,39%; Despesas Pessoais, com 3,27%; Transportes, com 2,80% e Artigos de Residência, 2,03%.

Outros dois grupos registraram deflação no acumulado do ano passado, ou seja, sofreram redução de preços: Comunicação, -0,30% e Vestuário, -4,75%.

Em 2018, dos dez produtos que sofreram os maiores aumentos de preços em Campo Grande, sete são do grupo Alimentação. O campeão e grande “vilão da inflação” na cidade no ano passado foi o tomate, com alta de 51,51%. Confira abaixo o ranking:

Produtos e serviços com maiores aumentos de preços em 2018 em Campo Grande

Produto/Serviço% de aumento
Tomate51,51%
Cebola47,08%
Maça32,24%
Seguro de veículo31,38%
Laranja pera27,69%
Batata inglesa25,83%
Cheiro verde23,47%
Ônibus interestadual19,07%
Farinha de trigo19,01%
Manutenção de computador17,28%