Campo Grande dobra capacidade de leitos de UTI: RJ adere à “estratégia TRAD” para evitar colapso.

O inicio da pandemia foi marcado por muitas adversidades e apresenta avanços nas estratégias de tratamento da doença. Um dos primeiros desafios enfrentados foi entender as particularidades da Covid-19 no universo das doenças infecciosas – de acordo com a definição da Organização Mundial da Saúde (OMS), aquelas causadas por microrganismos, como bactérias, vírus, parasitas ou fungos, e que podem ser transmitidas de uma pessoa para outra ou, no caso das enfermidades zoonóticas, passadas de animais para os humanos.

Campo Grande, sob a gestão do Prefeito reeleito Marquinhos Trad (PSD), junto ao Secretario de Saúde José Mauro Castro (SESAU) segue com foco em gestão e saúde, a capital sul-mato-grossense praticamente dobrou sua capacidade de internação de pacientes críticos, saindo de 116 para 308 leitos de UTI, sendo 65 contratualidades na rede particular e subsidiados com recursos das Secretarias Municipal e Estadual de Saúde. Essa expansão significativa garantiu que nenhum paciente padecesse sem acesso a um leito de UTI desde o início da pandemia e afastou qualquer possibilidade de colapso.

A estratégia adotada com sucesso em Campo Grande no início da pandemia, garantiu que a cidade não sofresse com falta de leitos. Logo, tornou-se modelo para grandes centros como o Rio de Janeiro (RJ) por exemplo, que anunciou nesta semana a abertura de chamamento público para disponibilização de leitos de UTI e de enfermaria clínica na rede particular para atendimento à pacientes com suspeita ou confirmação de Covid-19.

A medida foi sugerida pelo secretário municipal de Saúde, o médico sanitarista Daniel Soranz, e endossada pelo prefeito eleito Eduardo Paes (DEM). A previsão é abrir nos próximos dias 343 novos leitos para Covid-19, sendo 150 contratados em hospitais particulares. Nesse caso, a utilização de estruturas improvisadas foi dispensada bem como, os chamados hospitais de campanha para atendimento de pacientes críticos, a exemplo de alguns municípios do País.

Sendo assim, a gestão Trad segue invicta com suas características peculiares, onde o bem estar do cidadão campo-grandense é tratado com responsabilidade e respeito pautado no cuidado e valorização, humanizados pelo poder público. Marquinhos inicia  mais um ciclo com êxito e deixa explicita sua capacidade para tratar os assuntos da população conforme retribuição da confiança em si depositada.

DEIXE UMA RESPOSTA

Digite seu comentário!
Digite seu nome aqui