Campanha contra Influenza imuniza 114% dos idosos; profissionais da saúde ainda não bateram meta

A primeira etapa da campanha de vacinação contra Influenza acaba nesta quarta-feira (15) e já extrapolou a meta prevista pelo Ministério da Saúde na imunização de idosos, mas a procura dos profissionais de saúde, outro público alvo dessa etapa, ainda preocupa. Dados parciais revelam que 60% desses profissionais foram imunizados, enquanto pessoas com mais de 60 anos ultrapassa os 114%.

“No próximo balanço, que deve sair na semana que vem, já estarão os profissionais que trabalham nos hospitais, que devem aumentar significativamente esses dados, mas ainda assim, devido às circunstâncias, esperávamos uma procura maior”, explica a superintendente de vigilância em saúde, Veruska Lahdo. Para ela, como esses profissionais estão na linha de frente no combate ao coronavírus, seria de extrema importância a imunização de, pelo menos, 90% dos profissionais.

Quanto aos idosos, os números revelam uma adesão satisfatória, assim como já é comum com esse grupo.

A campanha de vacinação contou com o apoio de farmácias e drogarias, que auxiliaram a rede municipal de saúde na dispersão do público com mais de 60 anos, que é altamente vulnerável tanto à Influenza quando ao Covid-19. Assim foi possível controlar aglomerações e reduzir os riscos de contágio.

É possível conferir a lista de drogarias e farmácias que estão aplicando a vacina, oferecida pelo Sistema Único de Saúde e sem ônus ao usuário, através desse link.

Segunda Etapa

Prevista para acontecer a partir do dia 16 de abril, a segunda etapa da campanha também terá uma estratégia para evitar aglomerações e contaminação pelo novo coronavírus. As farmácias e drogarias continuarão aplicando a vacina em um grupo específico e um trailer também será usado, para a imunização de profissionais de segurança e salvamento.

Nessa etapa, serão vacinados, além desses profissionais, portadores de doenças crônicas não transmissíveis e outras condições clínicas especiais, funcionários do sistema prisional, adolescentes e jovens com idades entre 12 e 21 anos sob medidas socioeducativas, população privada de liberdade e foram adicionados recentemente ao público alvo dessa campanha os caminhoneiros, profissionais do transporte coletivo (motoristas e cobradores) e trabalhadores portuários.

Cada grupo deverá ficar atento a qual unidade deve comparecer para a vacinação, devido a necessidade de comprovação da doença, os portadores de doenças crônicas não transmissíveis deverão procurar uma das 71 unidades de saúde da Capital.

Privados de liberdade e adolescentes e jovens que cumprem medidas socioeducativas serão imunizados no local onde estão abrigados.

Uma nova etapa acontecerá a partir do dia 9 de maio, onde serão imunizadas crianças menores de seis anos de idade, gestantes e puérperas, professores de escolas públicas e privadas, povos indígenas, pessoas com idade entre 55 e 59 anos e pessoas com deficiência.