“Caltrop”, a arma medieval que estaria ajudando ucranianos contra a Rússia

Caltrops produzidos pela loja Workshop Art and Steel para proteger a cidade ucraniana de Rivne (Foto: Workshop

Caltrops produzidos pela loja Workshop Art and Steel para proteger a cidade ucraniana de Rivne (Foto: Workshop “ART of STEEL”/Facebook/Reprodução)

Por conta da invasão da Rússia na Ucrânia, uma loja na cidade de Rivne disse que está produzindo em larga escala caltrops — estrepes de metal pontiagudos que eram utilizados por guerreiros na Idade Média. Agora, porém, eles têm como proposta ajudar ucranianos a se defenderem.

Normalmente, os itens fabricados pela oficina Workshop “Art of Steel”, especializada em artigos medievais, servem apenas para cosplays e fantasias. Porém, a empresa divulgou em 1º de março, em sua página no Facebook, que os caltrops estão sendo usados no atual conflito bélico.

“Um pouco de ajuda para melhorar a defesa da nossa cidade”, diz a publicação, que mostra uma foto com vários desses estrepes. “Todas as oficinas da cidade servem como elementos de barreira.”

Como funcionam

Essas armas de aço pontiagudas são projetadas para bloquear estradas, estourar pneus e ferir patas de cavalos que conduzem carruagens. Segundo o projeto arqueológico norte-americano Jamestown Rediscovery, os espinhos afiados são dispostos de um modo que, quando um caltrop é jogado ao chão, uma de suas pontas perfurantes sempre aponta para cima.

Loja que vendia armas e armaduras medievais para cosplay e encenações agora produz armas para defender cidade ucraniana em meio à invasão russa (Foto: Workshop "ART of STEEL"/Facebook/Reprodução)
Loja que vendia armas e armaduras medievais para cosplay e encenações agora produz armas para defender cidade ucraniana em meio à invasão russa (Foto: Workshop "ART of STEEL"/Facebook/Reprodução)

No passado, os caltrops costumavam ser lançados e espalhados em uma grande área, segundo o site Medieval Britain. Como são armas pequenas, os exércitos inimigos que avançavam não podiam detectar sua presença até que fosse tarde demais.

Uso de caltrops na história

Esses itens de defesa eram usados na Europa desde os tempos da Roma Antiga. Eles chegaram a fazer parte do arsenal de Alexandre, o Grande, já em 331 a.C. Os romanos chamavam os estrepes de tribulus ou murex ferreus (ferro irregular).

O exércitos de Grande usaram os caltrops na Batalha de Gaugamela, na qual o governante persa, Dario III, saiu derrotado. Na Idade Média, soldados de infantaria optavam por lançar os estrepes porque eram relativamente mais baratos do que outras armas medievais e também bastante eficazes.

Arqueólogos já encontraram caltrops em uma vala em Jamestown, nos Estados Unidos, ao redor do Forte James, datado do século 17. O local foi construído por colonos ingleses que desembarcaram na região em maio de 1607, sofrendo ataques de resistência dos indígenas Powhatan.

“Não só a ponta saliente feriria o intruso, a dor infligida provavelmente faria com que o intruso gritasse e anunciasse sua presença no escuro”, descreve a Jamestown Rediscovery, responsável pelo achado. De acordo com o projeto, os colonos levaram os estrepes para o caso de terem problemas no mar, pois eles eram usados também em navios contra invasores.

Esforços de defesa

Ao site The Telegraph, a equipe da Workshop “Art of Steel” disse que até agora já produziu várias centenas de caltrops, preparando-se para o pior cenário da guerra na Ucrânia.“Metade deles estão ligados por correntes, o resto está separado”, disse um dos ferreiros da oficina. “Tais estruturas pontiagudas são feitas em todas as cidades da Ucrânia, não somos os únicos”, contou.

De acordo com o fabricante, muitas outras oficinas estão criando barreiras antitanques e algumas fabricam até fogões para aquecer os militares. “Todos os mestres que sabem trabalhar com metal estão tentando ajudar o exército de alguma forma. A Rússia não esperava tamanha resistência”, disse o ferreiro.

FonteGalileu