Brasileiro que viveu em Campo Grande é selecionado para programa de música em Portugal

Com uma voz marcante e a um passo de trilhar carreira internacional no ramo da música, Sóstenes Marcelino Alves Bezerra, de 37 anos, artista que se destacou por muitos anos nos palcos sul-mato-grossense, agora é um dos selecionados para o BDO Live Festival Portugal – evento criado pelos realizadores do Brazilian Day nos Estados Unidos e que tem o objetivo de revelar novos compositores e cantores.

Conhecido como Soll, o músico iniciou a carreira em Campo Grande participando de festivais, musicais e também fazendo backing vocal para artistas sul-mato-grossenses. Formado em psicologia, Soll mudou-se para a Alemanha para tentar doutorado, depois passou pela a Inglaterra e em Portugal, segue em busca do grande sonho, viver somente da música.

Cantor vive em Portugal há 8 anos. — Foto: Arquivo pessoal/Soll

Cantor vive em Portugal há 8 anos. — Foto: Arquivo pessoal/Soll

Soll conta que foi um dos 30 selecionados para o programa que será exibido no canal online da BDO Live Festival. Para a audição, os compositores enviaram vídeos em que cantam as músicas ao vivo para mostrarem a voz e a composição.

“Para essa seleção, não é levada em consideração a qualidade técnica do vídeo em si, visto que um dos prêmios é a gravação de um videoclipe da própria canção, a masterização e se não estiver pronta, será feito o trabalho de arranjo, gravação em estúdio, até o processo final do material”, explicou ao G1.

 

Ainda de acordo com o artista, todas as semanas serão escolhidos cinco participantes para terem seus vídeos divulgados nas redes sociais do evento. Soll conta que a cada dia da semana será lançado um vídeo de um participante a começar no próximo sábado (27), dia do encontro que decide o melhor dos cinco, até o dia 1º de maio, quando será realizada a grande final.

O cantor disputa com a música “Pássaro Preto” que compôs durante suas viagens no metrô de Lisboa, em Portugal.

Segundo Soll, apenas um ganhador levará o prêmio final, mas haverá premiação para os demais participantes. Ele afirma que a intenção dos realizadores é que a nova geração de compositores possa ser vista por grandes nomes da música brasileira, portuguesa e mundial.

“Dei o meu melhor e investi muito para gravar um álbum com qualidade, com pessoas absurdamente incríveis, nomes que gravaram com grandes artistas brasileiros e que são minhas referências. Ainda sem o retorno financeiro, eu acreditei e decidi para minha vida que eu iria exercer o meu chamado por meio da música”, contou.

 

Ainda de acordo com o artista, por meio do festival, ele espera conseguir lançar o álbum por meio da plataforma do evento: “Eu ainda não tenho gravadora. Aqui é diferente, se as pessoas gostarem da nossa música, eles vão tocar. Esse festival significa um divisor águas na minha carreira”, ressalta.

Campo Grande foi a cidade onde Soll deu os primeiros passos no setor musical. — Foto: Arquivo pessoal/Soll

Campo Grande foi a cidade onde Soll deu os primeiros passos no setor musical. — Foto: Arquivo pessoal/Soll

O artista ainda reforça a importância do apoio dos brasileiros e de quem gosta de música para ajudá-lo a conquistar uma boa colocação e lembra, que a melhor forma de ajudar é visualizar, comentar e curtir o vídeo: “Também terá uma enquete que estará disponível no dia da exibição do meu material. É só entrar no site do evento e curtir meu trabalho”, para visualizar o site do evento basta entrar aqui.

Passaro Preto

 

Segundo Soll, Pássaro Preto, canção selecionada para o festival, reúne três lindas histórias de amor. A música faz parte do álbum “Minhas Estações” – nome escolhido por conta da maior parte das músicas terem sido compostas em estações de trem e metrô da grande Lisboa, onde o artista residi por quase oito anos.

Pássaro preto faz parte do álbum "Minhas Estações" — Foto: Arquivo Pessoal/Soll

Pássaro preto faz parte do álbum “Minhas Estações” — Foto: Arquivo Pessoal/Soll

“Além disso, o álbum representa as estações musicais que escolho chamar de “fonte” das quais bebo para compor e criar, sendo este um dos pontos altos do álbum, visto que temos vários estilos representados nele, desde o chorinho, tango/bossa, forró pé-de-serra, baião, até o maracatú, estilo amplamente conhecido e divulgado em minha terra natal, em Serra Talhada, interior de Pernambuco”, finaliza.

DEIXE UMA RESPOSTA

Digite seu comentário!
Digite seu nome aqui