Brasil pode bater recorde de pódios, ouros e obter melhor posição no quadro; veja projeção

Faltando quatro dias para acabar as Olimpíadas de Tóquio, a participação brasileira está um pouco acima da previsão inicial, o que faz com que o país sonhe bater três recordes muito importantes, que podem fazer com que a nação tenha um evento perfeito: recorde de medalhas, recorde de ouros e melhor posição na história do quadro.

Analisando caso a caso, é bem provável que o Brasil supere as 19 medalhas (recorde conquistado na Rio 2016), é possível (mas não provável) que ultrapasse os sete ouros (também o recorde da 2016), mas melhorar o 13º posto obtido no quadro da Rio 2016 só será concretizado se países como Nova Zelândia, Hungria, Cuba e Canadá não conquistarem muitos ouros nos próximos dias.

Neste momento, o Brasil está com 15 medalhas no quadro, quatro ouros, três pratas e oito bronzes, e tem outras três já garantidas (duas no boxe que podem ser ouro, prata ou bronze e o futebol masculino que disputa o ouro com a Espanha). Com 18 pódios já certos, é muito provável que a delegação supere as 19 medalhas da Rio 2016, já que ainda há muitas medalhas prováveis em jogo, como Isaquias no C1 1000m, vôlei masculino e feminino e o trio do skate park, além de possíveis pódios no atletismo e hipismo.