Brasil perde da França e está eliminada no handebol feminino

O handebol feminino do Brasil está eliminado das Olimpíadas de Tóquio 2020. A seleção brasileira perdeu para a França por 29 a 22, nesta segunda-feira, e está fora das quartas de final. As Leoas tinham a vantagem de poder empatar o jogo para seguir adiante. Porém, falharam demais tanto no aproveitamento dos arremessos quanto no esforço defensivo e não foram páreo para as atuais vice-campeãs olímpicas, na última rodada da fase de grupos.

Lassource comemora gol em Brasil x França do handebol feminino nas Olimpíadas de Tóquio 2020 — Foto: REUTERS/Susana Vera

Lassource comemora gol em Brasil x França do handebol feminino nas Olimpíadas de Tóquio 2020 — Foto: REUTERS/Susana Vera

Com a terceira derrota seguida em Tóquio, o Brasil encerrou a campanha com 3 pontos no grupo B e fora da zona de classificação para as quartas de final. Avançam as quatro primeiras, e a seleção está em 5º lugar, podendo até ser ultrapassada pela lanterna Hungria, que enfrenta a líder Suécia neste segunda. Na estreia, as Leoas empataram com as russas, atuais campeãs olímpicas, e depois ganhou da Hungria. Em seguida, somou derrotas para Espanha, para a Suécia e agora para a França.

Com a eliminação na primeira fase, o handebol feminino do Brasil não conseguiu repetir a quinta colocação do Rio 2016, melhor campanha da equipe em Jogos Olímpicos.

Ana Paula e Tamires marcando Coatanea em Brasil x França no handebol feminino das Olimpíadas de Tóquio Brazil REUTERS/Susana Vera — Foto: Brazil REUTERS/Susana Vera

Ana Paula e Tamires marcando Coatanea em Brasil x França no handebol feminino das Olimpíadas de Tóquio Brazil REUTERS/Susana Vera — Foto: Brazil REUTERS/Susana Vera

Campeã mundial em 2013, a seleção brasileira feminina iniciou um processo de renovação depois das Olimpíadas do Rio 2016, quando foi eliminada nas quartas de final pela Holanda. Antes de Tóquio 2020, o país somou resultados ruins nos dois Mundiais disputados (2017 e 2019), sequer passando da fase de grupos em ambas as edições.

O jogo

 

Empatadas na tabela, as equipes fizeram um começo de jogo também espelhado. Um gol de cada, bolas na trave em ambas as metas, erros nos dois lados e, depois, quatro minutos sem encontrarem a meta. Alexandra fez os quatro primeiros gols do Brasil e se mostrava um porto seguro no ataque. Mas a defesa brasileira ainda dava espaços, enquanto a francesa encaixou e abriu caminho para as europeias dominarem a partida. Após o 4 x 4 no terço inicial da etapa, a França ampliou o placar nos dez minutos seguintes (7 x 12). E chegou a ter sete gols de vantagem (9 x 16) antes do término do primeiro tempo em 11 x 17.