Blogueiro bolsonarista é internado em hospital de Brasília após cair em cela de presídio

O blogueiro bolsonarista Oswaldo Eustáquio foi internado no Instituto Hospital de Base do Distrito Federal, na noite de segunda-feira (21), após cair na cela onde está preso no Centro de Detenção Provisória II (CDP II), localizado no Complexo Penitenciário da Papuda.

Segundo a Secretaria de Administração Penitenciária do DF (Seape-DF), Oswaldo bateu com a coluna após sofrer a queda e seu estado de saúde “é estável, sem risco de morte”. Ele recebeu os primeiros atendimentos na prisão antes de ser encaminhado ao hospital, diz a Seape.

Oswaldo é investigado pela realização de atos antidemocráticos e foi detido em 18 de dezembro, por ordem do ministro do Supremo Tribunal Federal (STF) Alexandre de Moraes, após descumprir as regras da prisão domiciliar.

“Após receber os primeiros atendimentos e passar por avaliação clínica na unidade prisional, o reeducando foi encaminhado ao Hospital de Base (HB) para realização de exames mais detalhados. Segundo o HB, o estado de saúde do interno é estável, sem risco de morte”, diz a pasta.

 

A pasta informou que abriu uma ocorrência na 30ª Delegacia de Polícia, em São Sebastião, para que o caso seja investigado.

Ainda de acordo com a Seape-DF, “por motivos de segurança e preservação da integridade física, o reeducando não divide a cela com outros internos”.

“Foi solicitada, ainda, a realização de perícia no local do acidente. Além da ocorrência policial, foi aberta uma ocorrência administrativa pela direção do CDP II para apurar todas as circunstâncias do ocorrido”, afirma a nota.

Prisão

Oswaldo Eustáquio estava em prisão domiciliar desde novembro. Ele é investigado desde junho no inquérito que apura o financiamento e a organização de atos antidemocráticos com pedidos inconstitucionais, como o fechamento do Congresso e do Supremo.

A prisão domiciliar foi decretada depois que ele descumpriu ordens do STF que o proibiam de fazer postagens em redes sociais e sair de Brasília, onde mora, sem autorização judicial.

Na última sexta-feira (18), a prisão preventiva foi decretada depois que ele novamente desobedeceu as regras impostas, ao deixar a residência e se deslocar até o Ministério da Mulher, da Família e dos Direitos Humanos, comandado pela ministra Damares Alves.

Segundo o ministro Alexandre de Moraes, a prisão preventiva é necessária porque as medidas alternativas não estão sendo cumpridas pelo investigado.

“Após sucessivas oportunidades concedidas ao investigado, ele continuou a insistir na prática dos mesmos atos que lhe foram anteriormente vedados por expressa determinação da Justiça, situação que revela a inutilidade das medidas cautelares impostas, bem como a própria ineficácia da prisão domiciliar, haja vista que Oswaldo Eustáquio Fillho, ao invés de permanecer no interior da sua residência cumprindo o que lhe fora determinado, continuou circulando livremente além do limite permitido”, escreveu o ministro.