19.8 C
Campo Grande
segunda-feira, maio 23, 2022

Azambuja usa a máquina para cooptar prefeitos em troca de apoio a Eduardo Riedel

O uso da máquina estadual para cooptar prefeitos e inchar o Progressistas, novo partido da ministra da Agricultura e Pecuária, Tereza Cristina, terminou em briga de boteco no Bairro Carandá Bosque, em Campo Grande. Até a Polícia Militar foi chamada para conter o secretário especial estadual de Assuntos Estratégicos, Marco Aurélio Santullo, e o presidente regional do Podemos, o empresário Sérgio Murilo Mota, que trocaram empurrões e palavrões.

O fato atípico, mais um para envergonhar a política sul-mato-grossense, ocorreu na noite de sábado (5) na Havana Cachaçaria, um dos points dos poderosos na Capital. A briga acabou sendo gravada e o vídeo (que pode ser conferido abaixo) viralizou nos últimos dias.

Santullo chegou ao local para comemorar o aniversário e foi tirar satisfações de Sérgio Murilo. O cacique do Podemos se queixou do braço direito da ministra diretamente ao governador Reinaldo Azambuja (PSDB), de quem ainda continua amigo, mesmo após ser demitido no ano passado.

De acordo com o apurado pelo O Jacaré, Santullo irritou Murilo por estar usando a estrutura do Governo do Estado para cooptar os dois únicos prefeitos do partido, José Natan de Paula Dias, de Aparecida do Taboado, e Lúcio Roberto Calixto Costa, de Santa Rita do Pardo. Ele estaria ameaçando os dirigentes de suspender investimentos estaduais caso não seguissem a ministra na filiação ao Partido Progressista. Aparecida perderia R$ 20 milhões em obras.

O fato irritou o presidente do Podemos, que já perdeu o prefeito de Corumbá. Apesar das investigações da Polícia Federal e dos escândalos, Marcelo Iunes continua sendo disputadíssimo pelos políticos sul-mato-grossense. Ele deixou o Podemos e deve voltar ao PSDB.

Disposto a ganhar musculatura nas eleições deste ano, Sérgio Murilo não gostou da ofensiva e reclamou ao governador. Reinaldo teria chamado Santullo e mostrado a mensagem de WhatsApp do ex-secretário estadual de Governo e Gestão Estratégica. A discussão começou junto com a chegada de Santullo, que foi até a mesa de Sérgio Murilo.

Eles deixaram a cachaçaria e a briga teria começado na calçada. Os dois só não entraram nas vias de fato por causa da turma do deixa-disso. “Vá se f.”, diz o secretário especial de Reinaldo para o dirigente do partido do ex-juiz Sergio Moro.

“Você oferecer R$ 20 milhões para ele é sacanagem. Ele é emblemático”, brada o ex-secretário de Governo, visivelmente irritado. “Vai levar um esporro do governador”, grita. Após os dois terem se separado, o dirigente do Podemos entra no carro e faz várias ligações. Uma delas teria sido para Azambuja.

Neste momento, um integrante da mesa de Santullo se levanta, atravessa a rua e desfere um soco em Sérgio Murilo, conforme relato feito por duas testemunhas. Um segundo soco teria derrubado o cacique no chão. A PM foi chamada para apaziguar os ânimos. No entanto, quando a viatura chegou, Sérgio Murilo já tinha ido embora.

Uma testemunha do fuzuê até questionou, como se deve agir e quem se deve acionar quando a briga envolve dois dirigentes partidários, o comandante do partido e o principal articulador político de uma das principais ministras de Jair Bolsonaro (PL).

O dirigente partidário confirmou a confusão, filmada. “Discussão política, ele tentou convencer meu prefeito de Aparecida do Taboado a mudar de partido (ir para o PP), de forma não republicana, aí fiquei irritado com ele!”, confirmou a história. No entanto, ele negou a briga. “Mas não houve vias de fato!”, garantiu.

Santullo também negou o entrevero. “Não tenho versão, pois não briguei”, afirmou. Ele também negou que esteja usando a estrutura da máquina para cooptar prefeitos. “Não é verdade”, assegurou.

De acordo com Sérgio Murilo, o prefeito de Aparecida do Taboado permanece no Podemos. Já sobre o prefeito de Corumbá, ele assegurou que a desfiliação ocorreu devido à pressão. “Do mesmo modo que iam fazer em Aparecida”, informou, ou seja, oferecendo investimentos públicos em troca de filiação partidária. Iunes ainda não se filiou a nenhum partido.

O PP faz festa para filiar Tereza Cristina, do deputado federal Luiz Ovando, que também deixa o União Brasil, e 16 prefeitos no próximo dia 20. Também podem se filiar os deputados estaduais Londres Machado (PSD), Lucas de Lima (SD) e Neno Razuk (PTB). Depois de passar pelo PT, PDT e MDB, Paulo Duarte também pode fazer parte da festa.

Santullo foi nomeado por Reinaldo para fazer a articulação com os municípios no dia 3 de dezembro do ano passado (Foto: Arquivo)

O curioso é que Sérgio Murilo caiu após ser acusado de usar a máquina da Segov para cooptar prefeitos para o Podemos. Ele negou as acusações. Para acertar a filiação do prefeito Marcelo Iunes, ele teria se deslocado em avião do Governo do Estado até Corumbá. E também foi acusado de pressionar o prefeito de Dourados, Alan Guedes (Progressistas).

Murilo deixou a secretaria um mês depois da polêmica e informou, na época, que tinha pedido demissão para se dedicar ao projeto do Podemos.

FonteJacaré/ Edivaldo Bitencourt
Social Media Auto Publish Powered By : XYZScripts.com