Atlético-MG quebra tabu e se torna o 2º na história a eliminar Boca e River na mesma edição de Libertadores

Nem mesmo o mais fanático torcedor do River Plate discorda que o Atlético-MG mereceu ser semifinalista da Libertadores. O favoritismo já era do clube mineiro, mas a atuação dominante nesta quarta-feira, no Mineirão, tratou de acabar com qualquer discussão. A vitória por 3 a 0, com gols marcados por Zaracho (2) e Hulk, também fez o Galo atingir um feito que só havia acontecido uma vez em 61 anos: eliminar os dois gigantes argentinos na mesma edição do torneio. Na semi, os mineiros encaram o Palmeiras.

Nas oitavas de final, o adversário foi o Boca Juniors. Nas quartas, o River Plate. Apenas uma vez os dois caíram para o mesmo adversário na história da Libertadores — em 2016, quando o Independiente del Valle, do Equador. Na ocasião bateu os Millionarios nas oitavas e os Xeneizes nas semifinais. Mas ficaram com o vice-campeonato, perdendo a final do Atlético Nacional, da Colômbia. Feito histórico, agora dividido com o Atlético-MG.

A classificação também tem gosto de revanche. Isso porque o Galo teve esta oportunidade rara há 43 anos, mas não conseguiu eliminá-los. Vice-campeão brasileiro de 1977, o clube mineiro foi semifinalista da Libertadores, quando esta fase era disputada em um triangular. Atlético, River e Boca estavam no mesmo grupo.

Porém, o Galo venceu apenas uma partida das quatro — o River Plate em Belo Horizonte — e ficou em último lugar no triangular. O Boca Juniors avançou e foi bicampeão do torneio. Classificado, agora os mineiros pegam o Palmeiras para decidir quem irá até Montevidéu lutar pelo título.