Após sinalizar manipulação em post de Trump, Twitter derruba publicação com vídeo editado

O Twitter retirou do ar nesta sexta-feira (19) o vídeo publicado pelo presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, que mostrava um clip de notícias editado com a mensagem “criança foge aterrorizada de bebê racista”. Mais cedo, a rede social havia colocado um rótulo de “mídia manipulada” na postagem.

No lugar do vídeo, aparece a mensagem: “Essa mídia foi desativada em resposta a uma denúncia do proprietário dos direitos autorais”.

De acordo com a emissora norte-americana CNN, o pedido foi feito pela família de uma das crianças que aparece no vídeo. O Facebook também retirou as imagens do ar.

  • VEJA TAMBÉM: Resolução da ONU condena racismo sistêmico

O vídeo original, que viralizou nas redes sociais em 2019, mostra uma criança negra e outra branca correndo em direção uma da outra e se abraçando. Na mídia americana, o vídeo foi descrito como duas crianças que estariam “mostrando como se parecem melhores amigos na vida real”.

O conteúdo compartilhado na conta de Trump primeiro mostra a parte onde uma das crianças é vista correndo à frente da outra. Em determinado momento, aparece uma mensagem: “Bebê racista, provavelmente eleitor de Trump”.

O vídeo tuitado, com mais de 7,7 milhões de visualizações e 125 mil retuítes, mostra então o vídeo original e afirma: “A América não é o problema. Fake news é o problema”.

“Nós podemos rotular tuítes que contêm mídia sintética e manipulada para ajudar as pessoas a entenderem sua autenticidade e para fornecer contexto adicional”, afirma o Twitter em uma explicação sobre suas políticas publicada em seu site.

Outros casos

O Twitter tem estado na mira do governo Trump desde que a empresa checou as informações de um tuíte dele sobre votação por correio. A rede social também rotulou uma publicação de Trump sobre os protestos em Minneapolis como “glorificação da violência”.