Após chuva de 73 milímetros, equipe com 300 pessoas trabalha na recuperação da cidade

A Prefeitura de Campo Grande escalou uma equipe de 300 trabalhadores para recuperação de diversos pontos da cidade. O mutirão trabalha na limpeza e na reconstrução de parte do asfalto danificado pela forte chuva, de 73 milímetros, que caiu na cidade nesta quinta-feira (21).

Na rotatória da Rachid Neder com a Ernesto Geisel começou o trabalho de remoção do pavimento e retirada do barro. Ainda hoje, será refeito o asfalto para normalizar o tráfego na região. Outras equipes trabalham na limpeza do Jardim Paradiso e de recuperação da ponte sobre o Córrego Segredo, no Bairro Estrela do Sul.

A força das águas destruiu, por exemplo, parte de um muro construído há 40 anos na Ernesto Geisel, na margem do Rio Anhandui. Nesta sexta-feira, equipes da Secretaria de Infraestrutura e Serviços Públicos, que prontamente interditaram o local, vão trabalhar na recuperação dos danos. Será preciso reerguer as placas  e recompor o talude de contenção. Esta mesma solução foi adotada em trechos do canal do Córrego Segredo, onde o mesmo problema aconteceu. Essa fase ainda está em finalização e depende de recursos federais, bem como de tempo favorável para sua execução.

A prefeitura realiza estas intervenções, justamente, para corrigir esse problema de transbordamento do Rio Anhandui, que se arrasta há décadas. Uma das obras mais esperadas pelos campo-grandenses, a requalificação da Avenida Ernesto Geisel voltou a ser executada em 2018, após a Prefeitura recuperar os recursos alocados junto ao Ministério das Cidades e fazer a licitação.  A obra faz parte de um conjunto de ações que beneficiará diretamente os moradores dos bairros Marcos Roberto, Jockey Clube, Jardim Paulista e Vila Progresso.

Programa de intervenções Emergenciais em Drenagem

A Prefeitura de Campo Grande aguarda liberação de R$ 50 milhões do Governo Federal para obras do Programa de Intervenções Emergenciais em Drenagem Urbana de Campo Grande – MS.

O programa apresenta propostas de intervenções nas bacias hidrográficas mais impactantes de Campo Grande, principalmente por se tratar de cabeceiras de drenagem, destinadas a melhorar o sistema de saneamento básico, a partir da implantação de sistemas de manejo de águas pluviais e drenagem urbana.

Espera-se, assim, promover melhorias no contexto socioambiental e de saúde pública, impactando positivamente na qualidade de vida da população e na qualidade ambiental da cidade.

Ao todo, estão previstas 6 obras de implantação de bacias de amortecimento de águas pluviais, promovendo o correto manejo de águas pluviais, bem como, quando necessário, a readequação do sistema de drenagem urbana do respectivo entorno, cuja inexistência dessas obras atualmente contabilizam inúmeros impactos ambientais, principalmente nos períodos anuais de maior pluviosidade.