Aos 83 anos, escritor francês será julgado por pedofilia após uma de suas vítimas escrever livro

Uma adolescente de 14 anos, namorada de um homem de 50, um escritor francês respeitado. O relacionamento era aprovado pela família da jovem, mas deixou marcas só agora reveladas. Mais de 30 anos depois, essa história de abuso foi contada em um livro que discute a permissividade da elite francesa com um intelectual assumidamente pedófilo e que finalmente vai responder por seus crimes.

No ano passado, na França, Vanessa Springora lançou seu livro, chamado “O Consentimento”. Nele, ela conta em detalhes como, nos anos 80, aos 14 anos, foi seduzida e ficou encantada por um então famoso escritor, Gabriel Matzneff, de 50 anos.

Paixão até acontece, mas no caso dele era um padrão. Durante 40 anos, ele escreveu livros em que se gabava de conquistar adolescentes e era explícito ao descrever como se relacionava com elas, chamando de “sedução” o que era, na verdade, abuso sexual. Depois que Vanessa cortou a relação dos dois, Matzneff a perseguiu, escreveu livros expondo a intimidade dela, e o prestígio do escritor seguiu intacto.

Em seu livro, Vanessa ainda conta que o escritor guardava uma carta de recomendação do presidente francês François Miterrand na carteira para o caso de algum dia ser preso e que o estilista Yves Saint Laurent pagava os quartos de hotéis onde ele se encontrava com meninas.

Lattifa Benari, que tem uma ONG que ajuda vítimas de pedófilos, entrou na Justiça contra Matzneff por apologia à pedofilia. Com o livro de Vanessa e o processo movido por Lattifa, o escritor deixou de ter seus livros publicados pelas três editoras que tinham contrato com ele e, agora, com 83 anos, será julgado em setembro. Saiba mais sobre o caso na reportagem acima.