Acadêmicos da UEMS se preparam para intercâmbio no Canadá

Três acadêmicos da Universidade Estadual de Mato Grosso do Sul (UEMS) embarcam, no segundo semestre, rumo às terras geladas do Canadá. Arthur José Medeiros e Lucas Grechi Leme, do Curso de Ciências da Computação da UEMS, Unidade de Dourados, e Tatiane Aparecida Curim Faria, que está no terceiro ano do Doutorado em Agronomia, na UEMS de Aquidauana. Eles foram selecionados peloEmerging Leaders in the Americas Program (ELAP), programa do governo canadense que concede bolsas para mobilidade acadêmica no Canadá a estudantes da América Latina.

O ELAP é destinado a estudantes de graduação, mestrado e doutorado. O programa de mobilidade acadêmica no Canadá funciona como uma graduação ou pós-graduação conhecida como “sanduíche”: o estudante passa de 4 a 6 meses no Canadá e retorna para terminar seus estudos no Brasil. As inscrições foram em março desse ano e o resultado saiu em junho, quem ajudou no processo de candidatura dos três acadêmicos foi a Arelin – Assessoria de Relações Internacionais.

A técnica administrativa Maria Eugênia Petenuci atua na Arelin e auxilia os acadêmicos nesse processo do intercâmbio. “A Arelin tem esse papel, que é dar apoio aos processos e programas de intercâmbios internacionais e nacionais. O aluno interessado conduz todo o processo de inscrição e nós assessoramos com a documentação exigida e, principalmente, conduzindo a intermediação com a Universidade escolhida para realização de um convênio ou termo de cooperação. O êxito desses alunos nos deixa muito contentes e com certeza, essa experiência será muito importante e enriquecedora para os alunos e também para a UEMS, que se firma internacionalmente tendo alunos novamente selecionados pelo ELAP”, explica Maria Eugênia.

De malas prontas!

O acadêmico do terceiro ano de Ciências da Computação, Arthur José Medeiros, já teve experiências anteriores morando fora do país e se diz tranquilo, acredita que o frio na barriga só vá aparecer momentos antes do embarque. Mesmo sem o nervosismo pré viagem, ele sabe que passará por uma experiência única, “É uma oportunidade que eu não podia deixar passar, é um intercambio no Canadá. O que esse período lá agrega no meu currículo não tem valor”.

O acadêmico, Lucas Grechi Leme, está no quarto ano de Ciência da Computação e conta que também estava em busca de alguma oportunidade que pudesse agregar o currículo. “ O intercâmbio com certeza trará experiências e contatos, acho que é o que você consegue numa viagem dessa. Acho que será um diferencial”, conta o acadêmico.

A data da viagem ainda não está marcada, mas o destino já está certo, os dois vão para a Brandon University que fica na cidade de Brandon na província de Manitoba. Durante o período do intercâmbio eles irão desenvolver pesquisas cientificas.

Quem também está se preparando para passar alguns meses no Canadá é a acadêmica do terceiro ano do Doutorado do Programa de Pós-graduação em Agronomia da UEMS/Aquidauana, Tatiane Aparecida Curim Faria. Ela irá pelo ELAP para a University of Guelph, localizada na cidade de Guelph (província de Ontário).

Não é a primeira vez que Tatiane irá passar um período fora do Brasil, entre dezembro de 2018 a maio de 2019, ela fez um doutorado sanduíche pela Capes também na University of Guelph.

“ Durante meu intercâmbio anterior soubemos da bolsa ELAP e vimos a oportunidade de dar continuidade a pesquisa. Estou feliz e ansiosa para retornar ao Canadá (apesar da inevitável saudade da família e amigos que ficam no Brasil). No meu primeiro intercâmbio tive uma experiência positiva e conheci pessoas que me acolheram e incentivaram vivenciar a cultura canadense e o clima congelante”, relata Tatiane.

A viagem ainda está sem data marcada, mas provavelmente será no início de setembro. Na UEMS em Aquidauana, a acadêmica tem orientação do professor Dr. Jolimar Schiavo e na Universidade canadense a supervisão do professor Dr. Richard Heck, no Laboratório de Imagem do Solo.

“ Nossa pesquisa é na área de solos, buscamos entender a gênese dos solos através de imagens 2D (micromorfologia do solo) e 3D (tomografia do solo). Através do intercâmbio vejo uma oportunidade de agregar qualidade ao estudo desenvolvido e assim a produção de artigos científicos em periódicos de alto fator de impacto. Além da grande oportunidade de parceria entre as universidades (University of Guelph e UEMS), também incentivando outros estudantes a participarem de intercâmbio e acreditarem que é possível desenvolver nossa pesquisa, não ficando apenas no papel”, finaliza.

Da UEMS para o Mundo

O Gustavo Moura é ex-aluno da UEMS, fez o Mestrado em Letras – estudos em linguagens na unidade de Campo Grande. Em 2016, ele foi para o intercambio no Canadá através do ELAP durante o período do mestrado. A pesquisa desenvolvida por ele foi em torno do desenvolvimento docente de professores de língua inglesa em contexto internacional.

“ O intercâmbio abre horizontes e possibilidades. Te ajuda a enxergar que culturas se comportam e transformam diferentes umas das outras. Acho que o intercâmbio te abre os olhos para tentar entender um pouco mais do papel das pessoas e dos lugares na sua vida e como tudo te ajuda a ser mais empático com a sociedade e lutar por algo melhor também”, relata Moura.

Depois da experiência no mestrado, Gustavo voltou para o Doutorado na Universidade de Manitoba no Canadá, “ O intercâmbio te dá a chance de conhecer outras pessoas no seu campo de atuação e estabelecer contatos. Ajuda na sua capacitação profissional e te abre portas, e foi assim que voltei para o doutorado”, finaliza.

Oportunidades Arelin

Mais informações sobre as oportunidades de bolsas de intercambio, acesse a página da Arelin:http://www.uems.br/arelin/menu/650928a66b739a16d1141f38dda820b7